"O Aviador", de Scorsese, ganha as telas brasileiras

O cineasta Martin Scorsese volta à disputa pelo Oscar - que nunca ganhou - com O Aviador, cinebiografia do milionário americano Howard Hughes, que estréia hoje no Brasil. O longa teve 11 indicações, entre elas Melhor Filme e Direção. Com Leonardo DiCaprio no papel de Hughes, Scorsese transformou-o em anti-herói de uma vida marcada por grandes realizações cinematográficas, feitos marcantes na engenharia aeronáutica e na indústria aérea, acidentes que lhe deixaram marcas profundas, romances com estrelas maravilhosas e crises que o mergulhavam em grandes buracos negros, marcados pelo afastamento do convívio social. Hughes, que assumiu sua fortuna muito cedo, aos 18 anos, herdou diversos negócios do pai. Especialmente uma indústria de brocas para perfuração de poços de petróleo que sustentou sua riqueza e financiou suas idéias mirabolantes. Mas não ficou no Texas para dirigi-la. Em vez disso, foi se aventurar em Hollywood. No cinema, dirigiu, entre outros filmes, Anjos do Inferno (1930), um épico sobre a 1ª Guerra Mundial para o qual adquiriu a maior força aérea privada do mundo. Demorou anos para completá-lo e, ao final, decidiu refazer tudo para acrescentar a nova tecnologia do momento, o som. Na aviação, desenhou em 1935 o aeroplano mais rápido do mundo, bateu recorde de navegação intercontinental, acabou com o monopólio da Pan-Am para as rotas internacionais nos Estados Unidos, criou o Constellation para a aviação civil e o Hércules (considerado o maior avião do mundo) para fins militares. A vida afetiva de Hughes também foi marcada por grandes romances. Jean Harlow, Bette Davis, Ginger Rogers, Rita Hayworth, Katherine Hepburn e Ava Gardner estão entre as atrizes com quem se relacionou. O filme de Scorsese se concentra em apenas três delas: Harlow, que o milionário descobriu em uma festa em Hollywood e lançou para o estrelato; Hepburn, com quem teve uma relação de três anos, e Gardner, com quem teve sua relação mais tumultuada. Cate Blanchett faz o papel de Katherine Hepburn. Cate emulou o modo de falar, os trejeitos, a agitação e a espontaneidade de Hepburn. Em vez de simplesmente tentar imitá-la, recriou-a completamente na tela. Kate Backinsale interpreta Ava Gardner. Para assumir as formas voluptuosas da diva, ela engordou nove quilos. Além disso, leu suas biografias e assistiu aos seus filmes, especialmente Mogambo, pelo qual ela obteve sua única indicação ao Oscar. Com a ajuda de seus colaboradores de sempre, incluindo o fotógrafo Robert Richardson e a dupla de diretores de arte Dante Ferretti e Francesca LoSchiavo, Scorsese transformou a vida de Hughes em um grande épico moderno, cujo protagonista foi um anti-herói excêntrico, louco e sedutor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.