Novo filme de Milos Forman retrata a vida de Goya

O cineasta tcheco Milos Forman apresentou nesta segunda-feira em Madri seu mais recente longa-metragem, intitulado Os Fantasmas de Goya. A produção retrata o apogeu do pintor na Espanha, país dominado pela Inquisição, em cujas garras cai uma jovem musa do artista. Com o francês Jean Claude Carrière como co-roterista, o filme marca o retorno do diretor de Amadeus ao cinema após um intervalo de sete anos (sua última produção foi Man on the Moon de 1999). O longa conta pouco da vida do pintor espanhol, preferindo abordar o conturbado período histórico que vai de 1792 até a Revolução Francesa e o advento de Napoleão. A trama de Os Fantasmas de Goya começa na Espanha do fim do século 18 com um Goya (Stellan Skarsgard) às voltas com seus retratos da corte espanhola, mas já sob a perseguição atenta da Inquisição, que acompanhava de perto suas gravuras que retratavam doenças e morte. Sua musa e modelo, a bela Inês (Natalie Portman, escolhida por Forman por sua semelhança com a modelo do quadro do pintor espanhol), é filha de uma abastada família de comerciantes, os Balbituas. A garota acaba logo sob as garras da Inquisição, acusada de heresia. Presa e torturada, ela não tem outra opção senão confessar. A tentativa de suborno por parte de seu pai não ajuda no embate contra a Inquisição. Para salvar a jovem, Goya pede a intervenção de um alto funcionário da organização religiosa (fundada no século 18 para combater a heresia). Trata-se do padre Lorenzo (Javier Bardem), um ultraortodoxo convicto, que havia encomendado um retrato de si mesmo a Goya. Convidado para um jantar na casa da família de Ines, o padre Lorenzo vai de torturador a torturado. Pendurado de um lustre, entre gritos, acaba confessando ter nascido de um cruzamento "de um macaco com um orangotango" para escapar à dor. Comprometido, ele tenta salvar Ines, mantida prisioneira pela Inquisição. Mas com o advento, primeiro da Revolução Francesa e depois das invasões napoleônicas, e, por fim, a Restauração, tudo muda na Espanha. O padre Lorenzo se torna um jacobino fervoroso, Ines, agora livre, procura enlouquecida sua filha desaparecida, enquanto Goya, já totalmente surdo, divide sua vida entre retratos dos desastres da guerra e a obsessão de sua vida: ele acredita ter visto numa rua de Madri uma jovem idêntica à sua amada Ines. Rodado na Espanha em 2005, o filme da Xuxa Production com a Kanzaman Films teve a produção executiva de Saul Zaentz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.