Novo espaço exibe filme perdido de Reichenbach

Carlos Reichenbach, considerado um dos mais importante cineastas paulista em atividade, é destaque na inauguração hoje do Espaço Cultural 2001 Vídeo, com o lançamento do livro Carlos Reichenbach ? O Cinema como Razão de Viver e com a a exibição de seu primeiro longa-metragem, Corrida em Busca do Amor, cuja cópia estava desaparecida desde os anos 1970. A ?Semana Carlos Reichenbach?, que começa hoje, a partir das 19h30, com uma noite de autógrafos do livro do jornalista Marcelo Lyra, está sendo lançado pela Imprensa Oficial, com 352 páginas, e com a presença do autor e do cineasta Carlos Reichenbach. A data marca também o aniversário de 59 anos do cineasta. Na quinta, às 20h00, haverá exibição de Corrida Em Busca do Amor (1972), que Reichenbach dava como perdido e que foi resgatado pela Associação Brasileira de Colecionadores de Filmes em 16 mm. A cópia foi localizada em dezembro último pelo pesquisador Archimedes Lombardi, presidente da Associação, e adquirida por R$ 80,00. É provavelmente a única cópia do filme. Depois da exibição haverá um debate, reunindo Reichenbach, Marcelo Lyra e o jornalista Sérgio Rizzo.O filme é uma aventura juvenil na qual duas equipes participam anualmente de uma modesta corrida de carros usados. Na realidade, são integrantes de duas oficinas, uma rica e outra pobre, cujos líderes não só estão interessados no prêmio em dinheiro, como disputam entre si as atenções da jovem filha do comendador que patrocina o evento. A equipe rica não hesita em contratar um profissional para vencer à qualquer custo. A outra é obrigada a solicitar os préstimos do inventor abilolado Dr. Ivã, que descobre a pílula da velocidade. Durante a competição, funcionários da oficina rica tentam sabotar os "possantes" dos adversários.Semana Reichenbach - Espaço Cultural 2001 Vídeo (60 lugares)Av Sumaré 1744, Perdizes - São Paulo - (11) 3873.2017. Hoje, lançamento do livro, a partir das 19h30 e quinta, exibição do primeiro filme do cineasta, às 20 horas. Entrada gratuita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.