"Nove Rainhas" chega às locadoras

Um dos melhores e mais movimentados filmes exibidos pelo cinema este ano está chegando às locadoras: Nove Rainhas, de Fabián Bielinsky. O filme é argentino, mas antes de torcer o nariz, saiba que é uma obra inteligente, com muito suspense e ação, valorizada pelo perfeito entrosamento dos dois atores principais, Ricardo Darin e Gastón Pauls, merecidamente premiados no Festival de Biarritz. Um thriller que não fica nada a dever aos melhores feitos por Hollywood. Darin é o estelionatário experiente que, por acaso, ajuda um novato que tentava dar um golpe em um pequeno supermercado e estava prestes a se dar mal. Ficam amigos e juntos dão uma série de criativos estelionatos nas ruas de Buenos Aires. Um dia, deparam-se com a chance de dar um grande golpe, revendendo um grupo de selos valiosíssimos, as tais Nove Rainhas do título, a um milionário. O problema é que, diante da fortuna, a amizade dos dois vigaristas começa a balançar. É o tipo do filme sobre o qual não se pode falar muito, para não estragar as surpresas. Depois de encerrado, vale repensar quem era honesto e, principalmente, quem foi enganado. No fundo, o estelionatário pode ser o diretor Fabián Bielinsky e seu grande golpe é a seqüência final. Bielinsky esteve em São Paulo durante o lançamento e contou que o filme só existe porque o roteiro (de sua autoria) recebeu um prêmio de US$ 1,3 milhão, suficientes para bancar as filmagens. Seu maior cuidado foi na escolha dos atores. Os coadjuvantes, por exemplo, têm importância vital. "Muitos deles são protagonistas quando estão em cena", explicou ele. Mas o filme não teria tanto êxito de público sem o carisma da dupla central. Gastón Pauls é muito convincente no papel do malandro ingênuo. Seguramente seria capaz de convencer você a emprestar-lhe o carro por uma semana. Já Darin está perfeito como o malandro argentino. Um cafajeste. A seqüência em que os dois são assaltados e correm atrás do bandido pelas ruas de Buenos Aires é de perder o fôlego. Faz lembrar a perseguição de Gene Hackman em Operação França II. O filme pode ser definido como uma feliz mistura de dois clássicos: Golpe de Mestre, de George Roy Hill (com Paul Newman e Robert Redford); e Os Safados, de Frank Oz (com Michael Caine e Steve Martin), onde dois vigaristas vivem tentando enganar um ao outro. Mas Nove Rainhas é mais que isso. É um exercício de linguagem, onde nada é o que parece e as mentiras parecem brincar com a própria definição de cinema, que no fundo é a arte de encenar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.