Divulgação
Divulgação

Nova coletânea reúne clássicos do gênero noir

'Pecado sem Mácula' e 'Mortalmente Perigosa' estão na lista

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

04 de abril de 2015 | 16h00

Estilo ou gênero? A discussão sempre ressurge a propósito do filme noir. Tradicionalmente, o conceito é aplicado a um tipo de policial sombrio, com suas histórias urbanas de detetives particulares, de homens enganados por mulheres e de homens e mulheres enganados pelas aparências. Mas também existem faroestes e melodramas noir. Mais que um gênero, portanto, talvez seja um estilo que se desenvolveu em Hollywood por influência dos diretores europeus que emigraram para os EUA fugindo do nazismo. Levavam o gosto pelo claro/escuro do expressionismo, o pessimismo nas relações humanas e sociais.

O volume 2 da coletânea Filme Noir da Versátil traz seis filmes emblemáticos distribuídos em três discos. Dois são obras-primas absolutas, em versões restauradas - Mortalmente Perigosa, de Joseph H. Lewis, e Os Corruptos, de Fritz Lang. Os demais são obras de Elia Kazan (O Justiceiro), Robert Siodmak (A Dama Fantasma) e Fred Zinnemann (Ato de Violência). A surpresa do lote talvez seja Pecado sem Mácula, com Farley Granger e Cathy O’Donnell. É estimulante constatar que Anthony Mann não foi grande somente no western. Ele se exercita bastante bem no noir.


Parecia uma temeridade quando, em 1983, Jim McBride ousou refilmar o Acossado, de Jean-Luc Godard. A Força do Amor revelou-se tão bom e até melhor que o filme/manifesto do autor francês, o que não significa que McBride e Godard sejam do mesmo calibre. Richard Gere faz bandido barato que mata policial e, em fuga com a namorada, entra num cinema. O filme é Mortalmente Perigosa/Gun Crazy. O revólver maluco, ou o maluco do revólver. John Dahl é louco por armas. Envolve-se com Peggy Cummings.

Quando se veem pela primeira vez ela usa roupa de cowgirl e participa de um número com armas num parque. Armas representam excitação para Peggy. Para Dahl, são uma forma de afirmação ou superação da baixa estima. Unidos pelas armas, e pelo sexo, iniciam, uma carreira no crime. Joseph H. Lewis é considerado um mestre do filme B. Filmava rapidamente. Mortalmente Perigosa virou referência - e não só de McBride. A influência do filme é evidente sobre Bonnie & Clyde/Uma Rajada de Balas, o clássico de Arthur Penn.

Poucos filmes de Hollywood ou de qualquer procedência, feitos em 1950, exalam tanta sensualidade. Entre um tiro e outro, um assalto e outro, Dahl e Peggy estão sempre se agarrando, se beijando. No final, são sitiados pela polícia. Ela se desculpa por havê-lo arrastado àquela vida. Ele retruca que ão queria outra. E beijam-se, mais uma vez (a última?). É um dos finais mais românticos da história do cinema.

Os Corruptos é considerado o melhor filme do alemão Fritz Lang em Hollywood. Glenn Ford faz ex-policial que tenta destruir quadrilha que matou sua mulher. A verdadeira heroína da história é Gloria Grahame, em seu maior papel. Faz a amante que se vinga do brutal Lee Marvin, que deformou seu rosto ao jogar nela café fervendo. Pecado sem Mácula é sobre um homem que aplica um golpe, arrepernde0-se e tenta recuar, mas sua situação complica-se cada vez mais. A forma como Mann filma Nova York (em 1949) é esplendorosa. Além dos filmes, os três discos incluem mais de duas horas de material, incluindo entrevistas de Martin Scorsese e Michael Mann discutindo o conceito do noir.

FILME NOIR VOLUME 2

Caixa: 3 DVDs Distribuição: Versátil

Preço: R$ 69.90

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.