Nos cinemas, <i>Paixão sem Limites</i>, de David Mackenzie

Festival de Berlim do ano passado. Paixão sem Limites concorre ao Urso de Ouro. Com o título original de Azylum, o filme de David Mackenzie provoca frisson pelo tema e também pelo roteiro, adaptado por Patrick Marber do romance Manicômio, do inglês Patrick McGrath. Marber é o autor da peça Closer, que Mike Nichols transformou em filme lançado no Brasil como Perto Demais. O próprio Marber adaptou sua peça para Nichols. Em Berlim, o diretor escocês Mackenzie disse que sua escolha de Marber passou, claro, por Perto Demais. Sabendo do interesse do autor teatral pelo cinema - e apreciando sua qualidade como dialoguista ácido -, ele achou que Marber seria o parceiro ideal para um filme que trata dos limites da paixão.A trama se passa em Londres, no fim dos anos 50. Trata do triângulo que se estabelece quando médico ambicioso vai trabalhar num instituto psiquiátrico que abriga criminosos. O médico é obcecado pelo trabalho. Negligencia a mulher, interpretada por Natasha Richardson, filha de Vanessa Redgrave e Tony Richardson. Ela, por sua vez, fica obcecada por esse jardineiro que foi condenado pelo assassinato brutal da mulher. A paixão sem limites, o adultério, o jardineiro, tudo isso levou mais de um crítico a definir o filme de Mackenzie como uma versão do seriado Desperate Housewives reescrita pelo autor de Perto Demais.Se você acha que Mackenzie ficou ofendido, enganou-se. Ele disse que não pensou especificamente em Desperate Housewives, mas que podem existir similaridades de temas e, como diretor, ele não conseguiria dizer ao público como tem de ver o filme dele. O espectador faz as ilações que pode, ou quer. A proximidade com Perto demais é evidente. Como a peça de Marber e o filme de Nichols, o de Mackenzie também é um estudo de relações humanas e sexuais. Ambos, na verdade os três, exploram o desejo, os limites da paixão e o tema da infidelidade. Ao embarcar na sua paixão sem limites, Natasha corre o risco de desestabilizar não apenas seu casamento, mas a própria vida na instituição a que seu marido pertence, como lhe diz o personagem de Ian McKellen.Tanto quanto Desperate Housewives, e aí você entende por que o diretor diz que cada um faz a ilação que pode, também se poderia ver aqui algo de O Amante de Lady Chatterley, de D.H. Lawrence, já que a questão de classe tangencia o relato. O grande problema é o limite da paixão. A própria Natasha parece estar enlouquecendo de desejo. O filme pode não ser bom, mas levanta questões pertinentes. O neozelandês Marton Czokas, visto em Cruzada e A Supremacia Bourne, faz o jardineiro infiel. Há quem ache que o papel exigia um ator mais carismático, ou mais sexy. Veja para dizer se concorda, ou não. Paixão sem Limites (Asylum, Inglaterra-Irlanda/2005, 100 min.) - Drama. Dir. David Mackenzie. 16 anos. Espaço Unibanco 2 - 15h, 17h10, 19h20, 21h30. Morumbi 4 - 14h, 16h, 18h, 20h, 22h (sáb. também 0h). Sala UOL - 14h, 16h, 18h, 20h, 22h. Unibanco Arteplex 9 - 13h, 15h10, 17h20, 19h30, 21h40 (sáb. também 0h). Cotação: Regular

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.