No Telecine Cult, Javier Bardem em sua melhor forma

Antes do Anoitecer (22 horas no Telecine Cult) chegou discretamente às salas do País em 2000, durante a 24.ª Mostra de Cinema de São Paulo. O diretor, Julien Schnabel, esteve presente às sessões como convidado da Mostra. Discreto, apresentava seu rigoroso trabalho e ficava no fundo da sala, espreitando as reações da platéia, que não era nada indiferente a este filme raro, que merecia ter feito carreira mais condizente com sua ousadia temática.Schnabel é artista plástico. Sua primeira incursão pelo cinema foi com o docudrama sobre um colega, Basquiat - Traços de uma Vida. Já Antes do Anoitecer retrata a vida do escritor cubano Reinaldo Arenas, perseguido em seu país por ser homossexual e por publicar livros sem autorização do governo de Fidel, que considerou sua obra de estréia, Celestino antes del Alba, ameaça ao regime.Mesmo que sem ousar na forma, o longa tem o trunfo de contar com a atuação do espanhol Javier Bardem, em um de seus melhores papéis, que lhe garantiu merecidamente o prêmio de melhor ator no Festival de Veneza, em que Antes do Anoitecer levou o prêmio especial do júri. É lírico e visceral. Além das agruras políticas e pessoais do escritor, revela o que se passava com todos de ´comportamento subversivo´ durante a revolução.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.