VIRA COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO
VIRA COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO

No curta 'Xavier', pai percebe a atração de seu filho por garotos mais velhos

O cineasta Ricky Mastro trata com delicadeza do tema em seu filme, que será realizado em julho

Ubiratan Brasil, O Estado de S. Paulo

13 de junho de 2015 | 20h00

Pai cuidadoso, Nicolas começa a notar uma particularidade de seu filho de 11 anos, Xavier: o garoto revela-se atraído por adolescentes mais velhos. Mesmo surpreso, Nicolas transforma a notícia em um processo agradável de acompanhar a descoberta da sexualidade do filho. Esse é o resumo da trama do curta de ficção Xavier, a ser dirigido pelo cineasta brasileiro Ricky Mastro em julho. Durante a semana passada, ele organizou em São Paulo a seleção de jovens atores para descobrir o protagonista da história.

“A ideia surgiu quando li uma matéria em jornal sobre um pai que percebeu a homossexualidade do filho. E, ao invés de repreender, ele transformou aquilo em um ato de amor”, conta Mastro, que desenvolveu o roteiro com Eduardo Mattos. Vivendo atualmente em Toulouse, na França, Mastro sabia que enveredava por um caminho ao mesmo tempo espinhoso e delicado. “A sexualidade, especialmente a dos mais jovens, ainda é um tema que gera controvérsias.”

Por conta disso, todos os detalhes foram trabalhados. Segundo o cineasta, a descoberta do sentimento do garoto é traduzida por olhares e pequenos gestos. “Não há beijos, por exemplo”, explica. Também a ideia do roteiro foi revelada em uma página do Facebook, que logo recebeu muitas curtidas além de, em abril, 18 expectadores se dispuseram a relatar suas histórias e compartilhar o momento de descoberta de cada um.

O processo de seleção do jovem ator que viverá Xavier, no entanto, enfrentou problemas esperados. Vários garotos foram selecionados em agências pela produção de casting, mas muitos pais não liberaram a participação dos filhos por conta do teor do roteiro. “Confesso que, no início dos testes, temi não contar com participação suficiente”, conta Mastro, que foi se acalmando à medida que os testes aconteciam – ontem era o prazo previsto para as últimas audições.

“Fiquei feliz porque os pais que acompanhavam os jovens atores confessaram ter urgência para falar sobre esse assunto”, disse o cineasta.

A escolha do protagonista é essencial para a definição do restante do elenco, formado ainda por uma menina (amiga de Xavier) e três adolescentes mais velhos. “É importante que o intérprete de Xavier tenha bom relacionamento com os demais, para a química da história funcionar.” Definido o elenco, a produção terá de conseguir a autorização da Vara de Menor para então iniciar as filmagens.

Ricky Mastro pretende rodar o curta em julho, aproveitando as férias escolares. O financiamento vem sendo conquistado – o curta ganhou o prêmio Proac de apoio a manifestações LGBT, mas é insuficiente. Assim, o projeto, que será realizado pela produtora Cigano Filmes, foi inscrito no Catarse, plataforma de crowdfunding, ou seja, financiamento coletivo a partir de doações via internet. O retorno foi positivo, pois a primeira meta, que era arrecadar R$ 5 mil, foi logo alcançada. O mesmo aconteceu com a segunda e o projeto atingiu R$ 10 mil. Agora, o objetivo é conquistar R$ 14 mil, o que não parece complicado, pois, até sexta-feira, as doações já somavam cerca de R$ 13 mil.

O plano de Ricky Mastro é que o curta estreie em novembro e, como já tem parceiro internacional, a carreira no estrangeiro está garantida.

Mais conteúdo sobre:
CinemaCulturaRicky Mastro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.