No bolão do Oscar, 'Trapaça' tem as melhores chances

Tipo de história mais leve dá vantagem ao filme de David O. Russell, mas '12 Anos' ainda pode fazer sua campanha; confira as chances nas principais categorias

Glenn Whipp, Los Angeles Times

17 Janeiro 2014 | 15h13

Ainda que a cerimônia de entrega do Oscar só aconteça no dia 2 de março, não é preciso esperar até lá para tentar adivinhar qual será a decisão dos votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Neste final de semana, o Screen Actors Guild and Producers Awards, e o Directors Guild, no dia 25, nos darão muitas chances de encontrar algumas pistas sobre como as principais categorias devem se desenhar.

Enquanto isso, Cate Blanchett e Jared Letto podem perfeitamente começar a trabalhar em materiais para seus discursos de aceitação de seus prêmios. E quanto ao roteirista que recentemente disse ao diretor de O Lobo de Wall Street, Martin Scorsese, que ele deveria estar envergonhado... Bem, ele não deve estar muiro feliz neste momento.

Confira a seguir uma projeção das chances dos filmes que concorrem nas principais categorias do Oscar neste momento:

Melhor filme:

Trapaça: 2 chances em 1

12 Anos de Escravidão: 4 em 1

Gravidade: 9 em 2

O Lobo de Wall Street: 15 em 1

Nebraska: 15 em 1

Clube de Compras Dallas: 25 em 1

Ela: 30 em 1

Capitão Phillips: 40 em 1

Philomena: 50 em 1

Conclusão: Esta competição pode muito bem acabar quando o Producers Guild entregar seus troféus no domingo. O vencedor do PGA sempre foi o mesmo escolhido pela Academia nos últimos seis anos, muito porque o método de votação é similar. Se Trapaça vencer o PGA, confirmará o que muitos suspeitam há semanas: uma reviravolta efervecente culmina em uma dura lição, simplesmente porque tem um apelo maior. Mais votantes tendem a dar mais pontos a Trapaça do que a 12 anos de Escravidão porque colocam o entretenimento acima da arte.

A Fox Searchlight pode certamente combater isso ao apelar para a consciência dos votantes, enfatizando o modo como 12 Anos de Escravidão ataca um assunto importante de um modo descompromissado. As três indicações a atores do filme sinalizam que aprovação da Academia, e uma vitória no SAG ajudaria a reforçar esse argumento.

Gravidade, com dez indicações, continua sendo uma alternativa viável, apesar de suspeitar-se que o filme será recompensado de modo semelhante ao que As Aventuras de Pi foi no ano passado. Gravidade deve vencer as duas categorias de som, efeitos visuais e fotografia. E o diretor Algonso Cuarón está na dianteira para a estatueta de direção. Cinco Oscars não seria um resultado ruim.

 

Melhor ator:

Matthew McConaughey - Clube de Compras Dallas: 2 chances em 1

Chiwetel Ejiofor - 12 Anos de Escravidão: 4 em 1

Bruce Dern - Nebraska:6 em 1

Leonardo DiCaprio - O Lobo de Wall Street:8 em 1

Christian Bale - Trapaça: 20 em 1

Conclusão: A categoria mais competitiva do ano começou a voltar-se na direção de McConaughey, particularmente quando tornou-se mais aparente que Clube de Compras Dallas tem bastente apoio em toda a Academia, não só entre os atores. O perfil de McConaughey também foi auxiliado por seu papel fantástico, de cinco minutos, como o mentor de DiCaprio em O Lobo de Wall Street, uma atuação que realmente dá o tom para as três horas que se seguem. Adicione-se a isso True Detectives, a sutil e inteligente minissérie de mistério da HBO em que ele atua ao lado de Woody Harrelson. Parece que este é mesmo o momento de Matthew.

 

Melhor atriz:

Cate Blanchett - Blue Jasmine: 2 chances em 1

Sandra Bullock - Gravidade: 10 em 1

Amy Adams - Trapaça: 20 em 1

Judy Dench - Philomena: 25 em 1

Meryl Streep - Álbum de Família:50 em 1

Conclusão: Maryl Streep deu uma de Tonya Harding para cima de Emma Thompson quando falou mal de Walt Disney durante o tributo a Thompson na festa do National Board of Review? Certamente é o que parece, já que a atriz não poupou palavras contra Walt Disney e, por extensão, ao filme Walt nos Bastidores de Mary Poppins, o filme que o exaltava e que é estrelado por Thompson. A reação de Emma não muda muito a dinâmica da coisa. Alguma outra atriz que não Blanchett ganhou algum prêmio este ano?

 

 

Melhor ator coadjuvante:

Jared Letto - Clube de Compras Dallas: 2 chances em 1

Michael Fassbender - 12 Anos de Escravidão: 10 em 1

Barkhad Abdi - Capitão Phillips: 25 em 1

Bradley Cooper - Trapaça: 30 em 1

Jonah Hill - O Lobo de Wall Street: 50 em 1

Conclusão: Havia muitos atores com papéis substanciais - Daniel Brühl e James Gandolfini sendo alguns deles - competindo pelas últimas vagas nesta categoria. Jonah Hill acabou prevalescendo, talvez por os votantes tendo recompensado o modo como O Lobo de Martin Scorsese permitiu que ele apromorasse suas habilidades de improvisação. Leto, assim como Blanchett na categoria melhor atriz, tem sido uma aposta certeira para vencer há algum tempo. Ele e McConaughey podem comparar seus rascunhos para seus discuros.

 

Melhor atriz coadjuvante:

Lupita Nyong'O - 12 Anos de Escravidão: 3 chances em 2

Jennifer Lawrence – Trapaça: 2 em 1

June Squibb - Nebraska: 30 em 1

Julia Roberts -Álbum de Família: 40 em 1

Sally Hawkins - Blue Jasmine: 50 em 1

Conclusão: Poucos conseguem resistir a Jennifer Lawrence atualmente. Grupos de críticos têm premiado a atriz de 23 anos de idade por seu papel em Trapaça, e ela venceu o Globo de Ouro também. O caso da novata Nyong'o, além de seu óbvio mérito em seu papel em 12 Anos de Escravidão, é que Lawrence acabou de vencer um Oscar no ano passado. E, por qualquer que seja a razão, os votantes da academia historicamente gostam de premias novatos nesta categoria. Mais uma vez, com as indicações em quatro categorias, é preciso considerar que alguém de Trapaça irá ganhar. Foi o caso com O Lado Bom da Vida, com Bradley Cooper, Robert De Niro, Jacki Weaver e Lawrence - a última levou a vitória.

 

 

Melhor diretor:

Alfonso Cuarón – Gravidade: 2 chances em 1

Steve McQueen -12 Anos de Escravidão:3 em 1

Martin Scorsese - O Lobo de Wall Street: 8 em 1

David O. Russell - Trapaça: 10 em 1

Alexander Payne - Nebraska: 25 em 1

Conclusão: Scorsese e Russell são apostas legítimas aqui, mas a corrida provavelmente terminará numa escolha entre Cuarón e McQueen, que, caso vença, será o primeiro diretor negro a vencer um Oscar. Muitos votantes estarão inclinados a escrever um capítulo da história, mas Cuarón tem mais o perfil de queridinho da indústrinha. Ter feito um grande sucesso comercial também deu a ele uma vantagem. 

 

Mais conteúdo sobre:
Prêmio Oscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.