Ninguém discute Ancinav em Gramado

Havia a expectativa de que, dada a importância do tema, o debate em torno da Agência Nacional do Cinema e do Audiovisual, Ancinav, seria quente no 32.º Festival de Gramado - Cinema Brasileiro e Latino. Na segunda e terça-feira, parece que foi combinado - ninguém tratou do assunto. O tititi, agora - mas ninguém confirma nada -, é que o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderia desembarcar em Gramado no sábado, para a festa de encerramento. No ano passado, você deve se lembrar, o ministro Gilberto Gil usou o foro do festival para anunciar a meta da produção de cem filmes brasileiros anuais. Lula vem ou não vem? ´Lula aqui?´ é a pergunta nos bastidores de Gramado. As homenagens começaram na terça à noite. Lima Duarte veio receber o troféu Oscarito, que premia uma personalidade por sua contribuição ao cinema nacional. Ontem à noite, houve nova homenagem, a Tizuka Yamasaki, que recebeu o troféu Eduardo Abelim, que leva o nome do pioneiro do cinema gaúcho.Lima, que já foi melhor ator em Gramado, em 1983, por Sargento Getúlio. Apareceram imagens de seus grandes papéis no cinema. Lima disse que é assombrado por todas essas figuras que o acompanham. Lembrou os companheiros de lutas - Oduvaldo Vianna, Cassiano Gabus Mendes, Barbosa Lessa. E quase fez o Palácio dos Festivais vir abaixo ao dedicar seu prêmio a um político diferente dos outros, coerente, íntegro e sonhador - Leonel de Moura Brizola. Recebeu uma longa ovação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.