Nicole filma na ONU e embaixadores pedem ponta

Os atores vencedores do Oscar Nicole Kidman e Sean Penn estão gravando as cenas de seu novo filme, The Interpreter (O Intérprete), de Sydney Pollack, em locação no prédio da ONU, mas muitos embaixadores não estão felizes com o projeto porque todos os diplomatas do filme são feitos por atores. Nicole encontrou-se com dezenas de embaixadores da ONU em uma recepção, ontem na sede dos escritórios centrais da ONU, organizada pelo embaixador de sua terra natal, a Austrália, John Dauth, que disse que a atriz estava no panteão das pessoas mais famosas do país.Mas os embaixadores não tiveram a sorte de fazer uma ponta no filme: eles estão sendo interpretados por atores. O embaixador da Espanha na ONU, Inocencio Arias, que apareceu em alguns filmes espanhóis, disse que tinha sido escalado para o papel de um primeiro-ministro no thriller, mas que foi cortado duas semanas antes do início das filmagens. "Era meu sonho, aparecer em um filme de Sydney Pollack. Eu nem ia cobrar nada. É ridículo. Então, minha chance de ser indicado ao Oscar no ano que vem foi por água abaixo por causa de uma regulamentação estúpida", brincou.Para o embaixador da Jordânia na ONU, Príncipe Zeid Al Hussein, é uma pena os diplomatas não poderem participar do filme. "Nós somos familiarizados com o ambiente e com o trabalho dos intérpretes", disse. Houve uma pequena confusão sobre o motivo de não ser permitido que os embaixadores atuassem no filme. Num primeiro momento, Pollack disse que a decisão havia sido tomada pela ONU e não por ele. Mas o Subsecretário Geral da ONU Shashi Tharoor disse: "Nós estamos muito felizes de ter embaixadores interpretando eles mesmos. A decisão é deles, de seus governos e dos produtores do filme." Pollack, então, explicou que muitos embaixadores não têm permissão para trabalhar nos EUA. "A ONU é território internacional, então as pessoas que estão legalmente aqui não podem trabalhar nos EUA. Eles precisam de uma licença americana de trabalho para poderem trabalhar e receber o pagamento", disse.O diretor preferiu simplificar o trabalho e contratar atores para os papéis de embaixadores. O filme deverá ser lançado em fevereiro de 2005. Na história, Nicole é uma intérprete da ONU que vem de um país africano fictício que tem muitos problemas civis, políticos e étnicos, chamado de Matobo. Sean Penn faz um agente do serviço secreto tentando evitar o assassinato do líder de um país. Nicole teve dicas da chefe dos intérpretes da ONU, Diana Liao, sobre como é o trabalho de um intérprete.

Agencia Estado,

27 de abril de 2004 | 12h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.