Nicolas Cage vira herói na caça ao tesouro

A Lenda do Tesouro Perdido, a nova mega-aventura do produtor Jerry Bruckheimer, é estrelado por Nicolas Cage, Diane Krueger e Sean Bean e estréia amanhã em mais de uma centena de salas de todo o País (30 cópias serão dubladas). O tesouro do título é a fortuna que teria sido escondida pelos signatários da Declaração de Independência dos EUA. As pistas começam pela nota de um dólar (one dolar bill). Ali estão inscritos vários códigos e símbolos que, corretamente decifrados, levarão ao tal tesouro - com outra parada no meio do caminho. O que a nota de dólar revela é só um ponto de partida que precisa de um documento muito mais importante - a própria Declaração de Independência, guardada no Arquivo Nacional, em Washington, e em cujo verso encontra-se o mapa da mina. A partir daí, forma-se a situação básica. Cage pertence à terceira geração de uma família dedicada a procurar o tesouro nacional. Bean - o Boromir, de O Senhor dos Anéis é o vilão da história e Diane Krueger - a Helena, de Tróia - é a responsável pelo setor de documentação do museu que ajuda o herói. O passo mais arriscado é justamente roubar a Declaração. Há mais personagens em cena, como o garoto (Justin Bartha) que acompanha Cage e é bom de informática e computadores. É um corre-corre danado, mas Cage não acredita que seu personagem, Ben Cates, venha a ser um novo Indiana Jones.

Agencia Estado,

31 de dezembro de 2004 | 17h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.