Nicolas Cage protagoniza refilmagem dos irmãos Pang

Policial 'Perigo em Bangcoc', que estréia nesta sexta, traz ator na pele de Joe, um assassino de aluguel solitário

Rodrigo Zavala, da Reuters,

08 de setembro de 2011 | 15h06

Os irmãos chineses Danny e Oxide Pang ficaram mais conhecidos no ocidente por filmes de terror como Visões e Assombração. No entanto, a dupla é responsável por produções de diversos gêneros em seu país, incluindo o policial Perigo em Bangcoc, que ganha agora uma refilmagem americana estrelada pelo ator Nicolas Cage. O filme chega aos cinemas do Brasil nesta sexta-feira, 12.     Veja também: Trailer de 'Perigo em Bangcoc' Assinada pelo roteirista Jason Richma (da comédia policial Em Má Companhia), a história mostra a vida de Joe, um assassino de aluguel solitário. Com narração em off, o protagonista conta um pouco de seu obscuro cotidiano sem laços sociais ou família. Enfim, como é viver sem qualquer contato com pessoas, exceto as que estejam em seus últimos suspiros. Em sua nova missão, Joe é enviado a Tailândia para eliminar os inimigos de um perigoso criminoso local. Para ajudá-lo, ele contrata os serviços de um trapaceiro pé-de-chinelo Kong (Shahkrit Yamnarm), que fará o papel de intermediário, sem saber, entre a máfia tailandesa e o misterioso assassino internacional. Com o desenrolar da trama, a posição de Joe fica comprometida graças aos três conflitos que o personagem enfrentará: ele subitamente passa a ter valores éticos, se apaixona por uma moça portadora de deficiência auditiva e apadrinha Kong, tornando-se seu mentor. Ele passa de frio e impiedoso assassino a uma pessoa amargurada por sua própria sina e sensível aos mais recorrentes apelos de solidariedade. Uma guinada cabível se não fosse a irregularidade do roteiro e a má interpretação de Cage, cujas expressões homogêneas parecem sair das cenas finais de O Senhor das Armas (2005). A relação entre Kong e Joe é confusa, a paixão entre o protagonista e a vendedora de remédios soa absurda e a adoção de princípios morais surpreende até para o personagem. Faltam peças no roteiro de Jason Richma que possam indicar as transformações de Joe e dar alguma credibilidade ao que se vê na tela. O Perigo em Bangcoc original, vencedor do prêmio da crítica no Festival de Toronto de 2000, era mais cuidadoso na construção psicológica de seus personagens e em sua estrutura narrativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.