Namíbia expulsa repórteres pela proteção de Pitt e Angelina

Em uma ação sem precedentes, a Namíbia lançou uma série de medidas severas contra repórteres e fotógrafos que se encontravam no país para cobrir a visita do casal de atores Brad Pitt e Angelina Jolie. Por enquanto, o Governo namibiano ordenou a três paparazzi franceses que deixassem o país imediatamente se não quisessem ser detidos, segundo publicou neste domingo o jornal sul-africano Sunday Times. Outros repórteres receberam cartas assinadas pelo diretor de Imigração, que os estipulavam como imigrantes "ilegais" e lhes davam um prazo de 48 horas para que deixassem o país, caso contrário seriam presos.Um oficial superior de Imigração, Steven Mulundu, disse que esta é a primeira vez, desde a independência do país, em 1989, que jornalistas foram convidados a se retirar do Estado. A ação é defendida pelo primeiro-ministro da Namíbia, Nahas Angula, que, segundo o jornal, defende que o casal "merece proteção", já que Angelina está grávida de oito meses e é provável que ela tenha o bebê no país."A moça está esperando (um bebê) e vocês não param de segui-la. Por que não lhe reservam alguma privacidade? O assédio não é permitido na Namíbia", sentenciou Angula. O primeiro-ministro disse não estar de acordo com o princípio de que "a figura pública em um lugar público" pode ser fotografada. "Se uma pessoa diz que não quer ser fotografada então é claro que essa pessoa merece proteção", acrescentou.No entanto, Angula disse que os guarda-costas de Jolie não "podem fazer justiça com as próprias mãos", pois ameaçaram jornalistas e moradores do enclave de Langstrand, entre as cidades costeiras de Swakopmund e Walvis Bay, onde o casal está junto com os dois filhos adotivos de Angelina, o cambojano Maddox, de 5 anos, e a etíope Zahara, de 1.Apesar do rebuliço e do caos midiático e político,Pitt e Angelina foram vistos algumas vezes passeando tranqüilamente pela cidade. Foram vistos em restaurante fast-food em Walvis Bay, em uma joalheria de Swakopmund - onde correu o boato de que estivessem procurando alianças -, e também em uma loja de animais, comprando uma tartaruga para Maddox.Apesar de não desejarem ser clicado pelas lentes dos paparazzi, Pitt e Angelina posaram em uma sessão privada de fotos no deserto de dunas vermelhas de Swakopmund na semana passada. Todas foram vendidas por US$ 700 mil, informou o Sunday Times.Angelina declarou que dará à revista People o direito de publicar a primeira foto junto ao bebê. Em troca, a revista terá que doar US$ 3,5 milhões à Unicef. Bastou o Sunday Times publicar que o casal pretende dar um nome africano ao neném para o público da Namíbia começar a sugerir opções na emissora de rádio nacional. Entre os nomes favoritos está Naledi, que quer dizer "estrela" em setswana, língua local de Botsuana; e Katiti, que quer dizer "a pequena", em hereró e oshiwambo, duas das línguas mais populares da Namíbia. Angelina tem viajado freqüentemente para a África para rodar filmes e também como embaixadora da boa vontade do Alto Comissionado para Refugiados da ONU. A atriz esteve na Namíbia em 2002, durante as filmagens de Amor Sem Fronteiras.Angelina Jolie e Brad Pitt se apaixonaram durante as filmagens de Sr. e Sra. Smith (2005), provocando o término do casamento do ator com a também atriz Jennifer Aniston.

Agencia Estado,

23 de abril de 2006 | 15h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.