Multidão se despede de Alberto Sordi

Uma multidão tomou hoje a sede da prefeitura de Roma para prestar a última homenagem a Alberto Sordi, um dos maiores atores italianos de todos os tempos, que morreu ante-ontem aos 82 anos devido a complicações pulmonares. Até a manhã desta quarta-feira, 60 mil pessoas já haviam passado pelo velório. Depois, seria celebrada uma missa de corpo presente na Catedral da cidade. São esperadas 500 mil pessoas no enterro de Sordi, marcado para amanhã. A praça da prefeitura, projetada por Michelângelo no século 16, ficou lotada desde o fim da noite de ontem. Os romanos mais velhos foram os primeiros a chegar para render suas homenagens. Em seguida, já de madrugada, chegaram muitos jovens e a prefeitura foi tomada pela multidão, fortemente comovida. O local foi fechado às 4h30 da madrugada de hoje (horário de Roma), mas teve que reabrir para que mais italianos pudessem se despedir de Sordi.O prefeito de Roma, Walter Veltroni, um cinéfilo e admirador de Alberto Sordi, disse que esperava uma participação do povo no velório do ator. "Mas nunca imaginei que fosse assumir estas proporções", disse. O papa João Paulo II enviou telegrama de condolências à irmã de Sordi. Diz a mensagem: "o pontífice deseja fazer chegar a você e seus familiares a expressão de sua viva participação na dor por este grave luto". Já os cidadãos comuns de Roma, inconsoláveis, venciam o cansaço em nome de uma despedida a Alberto Sordi. "Alberto merece isto e muito mais; com ele desaparece o último verdadeiro romano", disse uma moradora do bairro de Monti, o mais antigo da capital da Itália. "O povo chora, sobretudo os mais velhos, mas também os jovens", disse o prefeito Veltroni. "Há uma grande tristeza, mas também uma grande serenidade".

Agencia Estado,

26 de fevereiro de 2003 | 13h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.