Multidão se amontoa para ver celebridades em Cannes

Todo dia, uma multidão se posta à frente do Palais, o palácio do festival para ver entrarem, à noite, os maiores nomes do cinema mundial. A montée des marches, a subida da grande escadaria que leva ao Theatre Lumière, é o ponto alto do cerimonial aqui de Cannes. Pompa e circunstância, glamour. É um espetáculo sempre renovado. Nesta sexta-feira, havia gente de manhã já reservando seu lugar para a noite. Na quinta-feira, Ken Loach, o grande (último?) defensor da causa operária, vestiu-se de gala para ser saudado pela multidão e pelo presidente do festival, Gilles Jacob, que o esperava no topo da escadaria. A montée des marches de Ken Loach e da equipe de The Wind That Shakes the Barley foi linda. Todo mundo do bem, Loach, seu excepcional ator (Cillian Murphy), o roteirista Paul Laverty. Ainda é cedo para arriscar prognósticos, mas se o júri presidido por Wong Kar-wai fizer a coisa certa, Loach não sai de mãos abanando da Croisette. Pedro Almodóvar fez ainda há pouco uma mointée des marches triunfal. Seu filme Volver é maravilhoso, uma reinvenção de Que Fiz Eu Para Merecer Isso?, começando onde o outro terminava, por um assassinato numa cozinha. É um filme sobre fantasmas, mas não no sentido literal e sim, no figurado. Fantasmas do passado que é preciso enfrentar (e superar) para tentar ser feliz. Almodóvar chegou com suas mulheres maravilhosas. Penélope Cruz estava deslumbrante, numa prova de que seu casamento com Matthew McConaughey lhe está fazendo bem. Carmen Maura, acabadíssima no filme, como essa mãe morta que ressurge para acertar as contas do passado, é adorada pelos franceses. Em seu retorno ao cinema de Almodóvar, quase 20 anos depois de Mulheres À Beira de Um Ataque de Nervos, Carmen Maura recebeu o carinho que a multidão habitualmente só reserva para os mitos de Hollywood.Dreamgirls ainda nem está pronto, mas houve há pouco uma superfesta para promover o filme que será distribuído no Brasil pela UIP, a United International Pictures. Baseado no musical de sucesso na Broadway, eh interpretado por Beyonce, Jamie Foxx e Eddie Murphy. Os três deram o ar da graça no Hotel Martinez, um dos mais exclusivos da Croisette, o passeio à beira-mar de Cannes, convidando jornalistas de todo o mundo para assistir a uma seleção de 20 minutos do material filmado. O material promete, mas para saber se Dreamgirls tem fôlego para ser, como espera a UIP, uma das apostas no Oscar de 2007, só esperando pela estréia, que deve ocorrer em dezembro. O diretor é o talentoso Bill Condon, de Deuses e Monstros, com Ian McKellen. O Sir Leigh Teabing de O Código Da Vinci, que continua em Cannes, foi prestigiar o lançamento do amigo. E fica até a semana que vem porque, logo em seguida, virá X-Men 3, de Bryan Singer, também com superlançamento no maior festival de cinema do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.