Mulher que perseguia Richard Gere volta para a Alemanha

Uma mulher acusada de perseguir o ator Richard Gere conseguiu evitar sua condenação à prisão nesta quinta-feira ao se confessar culpada de assédio qualificado. Ela concordou em voltar para sua casa na Alemanha e prometeu deixar o ator em paz. Ursula Reichert-Habbishaw, de 51 anos e natural de Kassell, na Alemanha, deixou o tribunal de Manhattan onde foi julgada chorando e teve um colapso quando, ao sair à rua, se viu cercada de câmeras. Sua advogada e um homem desconhecido a carregaram para dentro do prédio, de onde ela saiu pela porta dos fundos. A queixa de Gere afirmava que a acusada havia deixado mensagens em sua secretária eletrônica, como: "Quero estar com você e compartilhar de sua vida", "A morte parece ser a melhor escolha" e "Eu estarei como você por toda a vida". A polícia prendeu a Ursula quando ela foi ao escritório do ator, no dia 30 de abril. O juiz concedeu a ela libverdade condicional se ela concordasse a cumprir as condições impostas: deixar os Estados Unidos e prometer nunca mais incomodar Gere.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.