Divulgação
Divulgação

Mulher de Philip Seymour Hoffman pediu que ele saísse de casa por causa das drogas

Mimi O'Donnel não queria que os filhos vissem o pai preso por conta do vício em heroína

EFE

03 de fevereiro de 2014 | 22h33

O ator Philip Seymour Hoffman havia saído de casa três meses antes de morrer e se mudado a um apartamento a pedido de sua parceira, Mimi O'Donnel. A mãe de seus filhos não queria que as crianças vissem o pai preso por conta da heroína.

De acordo com informações do New York Post, isso explica a inicial ambiguidade sobre o lugar onde foi encontrado o corpo do vencedor do Oscar -- não em sua residência habitual, mas num apartamento na mesma rua.

"Todos sabiam que ele lutava para manter-se sóbrio, e O'Donnell tentava ser dura com ele para ajudá-lo. Disse que ele precisava passar um tempo longe dos filhos para que todos pudessem voltar a ter uma vida normal", disse uma fonte ao tablóide nova-iorquino.

Fontes citadas pelo New York Post asseguram que Hoffman e O'Donnel se viram no bairro no sábado à tarde. Eles chegaram a conversar por telefone à noirte, quando a mulher percebeu que o ator estava sob efeito de drogas, informou ela à polícia.

O alerta sobre o estado de Hoffman foi dado quando ele não apareceu para buscar seus filhos (de 10, 7 e 5 anos) no dia seguinte, às 9 da manhã, quando planejava uma visita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.