Muito frio (na barriga). No alto das árvores ou na pista de esqui

Desvende a geografia glaciar remando pelo Lago Pirehueico, em trekkings no bosque ou nas montanhas geladas

Bruna Tiussu

29 de junho de 2010 | 02h41

Rumo ao desconhecido. Passeio de caiaque, com duração de até cinco horas, leva até ilha. Foto: Divulgação

 

Desconsiderar as altas montanhas e os vales profundos típicos da geografia de origem glaciar seria um grande desperdício. Morros, lagos, cachoeiras e bosques que embelezam a reserva de Huilo Huilo também são muito bem aproveitados nos esportes de aventura ? e, melhor, de forma sustentável. Há opções para quem já está acostumado a desafiar a gravidade e outras mais leves, para os iniciantes dispostos a sentir a adrenalina lá em cima.

Para começar a se aquecer, o trekking pelo Caminho dos Espíritos é uma boa pedida. O nome pode soar estranho, mas lembre-se de que esta é a floresta mágica da Patagônia chilena e permita-se explorar toda sua riqueza e os locais que serviram de morada aos povos ancestrais, entre altas cadeias montanhosas.

Não longe dali, outra trilha leva até a parte alta da Cachoeira Huilo Huilo, de onde se pode contemplar toda aquela água que desliza pelas pedras vulcânicas até alcançar o bosque úmido lá embaixo. Turistas mais animados podem seguir por um estreito caminho que chega até novos mirantes, com outros ângulos de visão da queda d"água.

 

Veja também:

Terras de Neruda

Passe a noite no interior da montanha mágica

Saiba mais

Aproveitando ainda a vegetação nativa, há opções como o arvorismo - que, visto de longe, pode parecer moleza, mas vai exigir certo grau de equilíbrio e muita força nos braços - e a tirolesa. Para os pequenos, diversão radical exclusiva: o Vuelo del Chucao tem nível baixo de dificuldade e é mesmo só para crianças (a partir de dois anos). Maiores de 18 anos podem explorar seus limites na tirolesa Vuelo del Condor, mais longa e difícil. O circuito é composto por cinco cabos que proporcionam uma vista panorâmica da mata lá embaixo recortada por pequenas cascatas, e dura cerca de 2 horas e meia.

Para cair na água, aposte nos caiaques. Passeios de até cinco horas saem do porto com destino à ilha do Lago Pirehueico. Ou simplesmente navegue nas águas calmas e cristalinas pelo tempo que quiser.  

 

 

Só para eles. Crianças podem deixar o medo de lado e encarar o arvorismo. Foto: Divulgação

   

Eterna. Como a neve permanece firme no alto das montanhas durante todo o ano, é quase certo que você encontrará boas condições para esquiar, independentemente da época em que visitar a reserva.

Mas é preciso ir ao lugar certo: o Snowpark, aos pés dos vulcões El Mocho e Choshuenco, permanece aberto durante todas as estações. Oferece boas pistas de esqui e snowboard (algumas mantêm apenas neve natural), de diferentes níveis de dificuldade, ao longo das ladeiras formadas pelas duas montanhas.

Passeios de moto e caminhadas pela neve com raquetes - sempre com guias que conhecem a região - também estão no cardápio. E para quem prefere curtir a paisagem toda branquinha sem fazer tanto esforço, há tours em veículos 4x4.

Todos os passeios realizados na reserva podem ser agendados nos próprios hotéis. Mais : http://www.huilohuilo.cl/.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.