Mostra SP: seis destaques imperdíveis do primeiro dia

Mostra SP: seis destaques imperdíveis do primeiro dia

Evento toma conta de várias salas e os filmes são inúmeros, mas selecionamos alguns; veja trailers

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

22 Outubro 2015 | 15h55

Alguns dos destaques da programação desta quinta, 22, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, os filmes que você não pode perder.

Aferim!, de Radu Jude.

Dupla de policiais persegue ladrão fugitivo na Romênia do século 19, durante o Império Otomano. Há algo de quixotesco na relação da dupla - pai e filho. O pai acredita estar imprimindo valores à formação do filho. O desfecho subversivo coloca em xeque tudo o que o espectador viu antes. Em admirável preto e branco, o filme venceu o prêmio de direção em Berlim.

Horário: Frei Caneca 2, 17h45.

Chronic, de Michel Franco.

A sombra de Love/Amor, de Michael Haneke projeta-se sobre esse drama que tem Tim Roth no papel de enfermeiro que cuida de pacientes terminais. Vencedor do prêmio de roteiro em Cannes, o filme pesa a mão ao lançar, sobre o protagonista, uma acusação de abuso. Prepare-se para o desfecho impactante (e inesperado).

Horário: Cinesala, 21h30.

Como Era Verde o Meu Vale, de John Ford. 

A retrospectiva da Film Foundation de Martin Scorsese regata o clássico de Ford que ganhou os principais Oscars de 1941. É uma adaptação do livro de Richard Llewellyn, sobre uma família durante greve de mineiros no País de Gales. O relato austero é visto pelos olhos de um menino (Roddy McDowell) e do elenco participam Walter Pidgeon, Maureen O’Hara, Donald Crisp e Anna Lee.

Horário: Cinesesc, 16h40.

Dheepan, de Jacques Audiard.

Cahiers du Cinéma caiu matando sobre Audiard, que ganhou a Palma de Ouro em Cannes, em maio. Disse que foi a vitória da persistência. De tanto insistir, isto é, de tanto participar da competição, um dia ele ia encontrar o júri certo e vencer. Foram os irmãos Coen que outorgaram a Palma. Não ligue para a revista. O filme é forte, sobre homem que foge da guerra no Sri Lanka e cai no meio de outra guerra (social) na França.

Horário: Frei Caneca 1, 21h15.

É o Amor, de Paul Vecchiali.

Mulher vinga-se da infidelidade do marido tendo um affair com ator gay. A decisão reflete-se na vida não apenas do trio, mas também na do companheiro do ator. Vecchiali é um autor francês pouco divulgado no Brasil. Surgiu na época da nouvelle vague, consolidou-se nos anos 1970. E este ano já teve um filme lançado no Brasil, o que é bastante raro. Quem viu e gostou de Noites Brancas no Píer, não deve perder.

Horário: Itaú Augusta, 19h45.

Virgem Juramentada, de Laura Bispuri.

Alba Rohrwacher faz mulher que invoca o Kanun, o código de honra albanês. e assume identidade masculina. Com isso, torna-se intocável e mantém a virgindade. O problema é quando deixa a Albânia, vai para a Itália e inicia n ova vida.

Horário: Cinesala, 19h30.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.