Mostra reflete a fotografia no cinema nacional

A mostra Impressões em Película - a Fotografia no Cinema Brasileiro prossegue no Centro Cultural Banco do Brasil até 2 de março. Com apresentação de filmes e debates, procura centrar seu foco na função do trabalho fotográfico no quadro do cinema brasileiro, o atual e o do passado. A mostra tem curadoria do fotógrafo e curta-metragista Maurício Hirata.Dois debates ainda acontecem. Na terça, às 19h, falam Mário Carneiro e Joel Pizzini; no dia 25, será a vez de César Charlone, fotógrafo de Cidade de Deus. Vários filmes ainda a serem exibidos são de grande interesse, por suas qualidade gerais como cinema e pelo aspecto particular abordado pela mostra, a contribuição da fotografia na construção da obra. É o caso, por exemplo, de O Padre e a Moça, de Joaquim Pedro de Andrade, fotografado por Mário Carneiro. O espectador poderá ver como a beleza da foto em preto-e-branco expressa com perfeição o conteúdo intimista tirado da poesia de Carlos Drummond de Andrade.É o caso também de um exemplo oposto, O Invasor, de Beto Brant, fotografado por Toca Seabra. O Padre e a Moça, que trabalha no bucólico porém intolerante interior mineiro, pedia aquele tratamento em chiaroscuro proposto por Carneiro. Já o desequilíbrio urbano de O Invasor exigia linguagem visual oposta, e a encontrou nas soluções mais lisérgicas de Seabra. Cidade de Deus, o grande sucesso da retomada, também se vale de fotografia expressiva, toda em sintonia com aquilo que se vê - a violência e a desordem, mas também uma pulsação jovem e cheia de energia.Já a foto de Walter Carvalho para Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho, busca tom mais meditativo e atemporal escolhido por essa adaptação de Raduan Nassar. Se a intenção do diretor era colocar a história num registro de fábula, isto é, de tempo fora do tempo, as soluções buscadas por Walter foram as melhores. Pela luz, tem-se a sensação exata de que aquilo fala de todos os tempos e de nenhum. Ou seja, fala de todos e para cada um de nós em particular.A mostra permite ainda resgatar alguns dos grandes momentos da fotografia nacional, como a de São Bernardo, de Leon Hirszman. A fotografia de Lauro Escorel e Moraes Filho mostra o protagonista, Othon Bastos, "sumindo" no final, enquanto uma vela se consome. Lindo e comovente, de doer.Impressões em Película - a Fotografia no Cinema Brasileiro - De qua. a dom., a partir das 15h; ter., das 13h30. R$ 8,00 e R$ 4,00. CCBB - Rua Álvares Penteado, 112, tel.: 3113-3651. Até 2/3.

Agencia Estado,

13 de fevereiro de 2003 | 21h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.