Mostra de Goiânia reúne produção de 23 Estados

Um filme paulistano, Carolina, de Jeferson De, abre hoje a terceira edição do Goiânia Mostra Filmes. Até o dia 12 serão exibidos na capital de Goiás 98 filmes provenientes de 23 Estados brasileiros. Outra atração da Curta Mostra Brasil, a mais importante do festival, é o premiado Tempo de Ira, de Gisella Melo e Marcélia Cartaxo. As outras seções do festival são Curta Mostra Goiás, Curta Mostra Municípios, Curta Mostra Melhor Idade e Curta Mostra República no Cinema.Segundo a coordenadora-geral do Goiânia Mostra Filmes, a intenção deste ano foi diversificar ao máximo a origem dos participantes. Apenas Estados de produção muito incipiente, como Rondônia, Roraima e Amapá, ficaram de fora. Goiás é o estado com maior número de participantes, 23 filmes ao todo. Desses, apenas cinco estarão na mostra principal - Césio 137 - O Brilho da Morte, Ruídos da Fé, As Aventuras de um Saci, Na Linha do Horizonte e A Vida não Vive.Na parte, digamos assim, reflexiva do festival, vários debates estão programados. Como Desbravar o Mercado para o Curta Nacional terá curadoria de Assunção Hernandez, presidente do Congresso Brasileiro de Cinema. Outros dois debates têm por título Política Pública para a Cultura e o Audiovisual no Novo Governo e Personagens da República no Cinema Brasileiro. O festival organiza também oficinas e lançamentos de livros - ou seja, segue o molde de grande parte dos eventos congêneres que começaram a proliferar nos últimos anos por todos os Estados do País. OK, não há filmes inéditos para todos eles e nem haverá no futuro, pois a desproporção entre o que se pode produzir e a vontade de exibir é muito grande. Mas esses festivais acabaram por se transformar em importante rede de divulgação do cinema brasileiro, que na maior parte dos casos não tem oportunidade nas telas do próprio país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.