Mostra de curtas paga R$ 1 para atrair público

O MAM de São Paulo exibe amanhã três sessões de curtas-metragens feitos em câmeras digitais. Ao todo serão 33 filmes, mas com uma diferença fundamental: quem assistir a tudo ganha R$ 1. Apesar de parecer tentadora, a proposta só vale para quem conseguir assistir a todos os filmes. Ou seja, são três sessões de 11 curtas numa tarde. Quanto tempo na sala, sentado assistindo aos vídeos? Oito horas. Esse pode vir a ser o R$ 1 mais suado da sua vida.A idéia é do grupo carioca A Organização. São cineastas que assumem e cumprem uma regra: realizar seus filmes em prazos muito curtos e garantir sua exibição. Aquele que não conseguir terminar seu filme no prazo estipulado ganha em "homenagem" um filme difamatório feito pelos colegas. O objetivo é produzir em larga escala. Talvez por isso desafiar o público, literalmente pagando para que vejam seus filmes.Os 33 filmes que o MAM exibe amanhã são o fruto do primeiro prazo auto-imposto pelo grupo. Foram sete meses, desde sua fundação em novembro de 2001 até 18 de junho deste ano, quando A Organização exibiu os filmes no Cine Odeon BR, centro do Rio. Cerca de 1.500 espectadores agüentaram até o fim. "Tínhamos 1.800 moedas de R$ 1 e sobraram só 300", diz o bom pagador Samir Abujamra, criador da Organização. Ele explicou que já tem 600 moedas para distribuir aos espectadores amanhã no MAM.Mas o espetáculo não fica restrito aos filmes. "A coisa é muito performática", diz Abujamra. Ele conta que na exibição no Rio, em junho, engraxates, bêbados e outros tipos incomuns nas salas de cinema viram os filmes. Por várias razões. "Teve gente que não tinha dinheiro para a passagem de volta", conta. No meio das sessões, houve quem vaiasse os filmes, exigindo aos gritos seu real para ir embora. "Mas as pessoas que saem no meio não ganham", esclarece Abujamra.As regras rígidas e claras dos estatutos da Organização já produziram uma vítima. É o cineasta Breno Poubel, que não conseguiu terminar seu filme a tempo para a exibição de junho. Abujamra diz que já está pronto um filme difamatório sobre ele: Breno e Seu Pau Pequeno. O filme deve entrar no próximo conjunto de curtas da Organização, a ser lançada em março do ano que vem. Mas os 33 integrantes do grupo parecem aceitar bem a condição. "Ele levou na esportiva", diz Abujamra.A segunda onda produtiva da Organização terá condições ainda mais complicadas de cumprir. Os diretores terão até 1º de março de 2003 para entregar os filmes. Mas o diretor só vai saber qual tema terá que abordar depois que se comprometer a fazer o filme, num sorteio. Para esta segunda leva de filmes, Abujamra quer convocar nomes consagrados do cinema nacional para participar. "Vamos convidar o Júlio Bressane", diz ele.Aqui em São Paulo, A Organização pega carona no Festival Internacional de Curtas-Metragens e lançam seu desafio: quer ganhar um real? Assista aos filmes. Ou veja a coisa de uma forma positiva: conheça 33 filmes feitos sob pressão e ganhe um real para o café.Curtas do grupo A Organização - Museu de Arte Moderna de São Paulo, Auditório Lina Bo Bardi. Parque do Ibirapuera s/nº, portão 3. Tel.: 5549-9688. 110 lugares. Primeira sessão às 14h, depois às 16 e às 18h30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.