Mostra de cinema, em Genebra, aborda Direitos Humanos

Serão exibidos, este ano, 33 filmes sobre os Direitos Humanos no IV Festival Internacional de Cinema, que acontece em Genebra entre os dias 10 e 18 de março. O evento é conhecido por sua dimensão política e plataforma internacional para denúncia e debate.A programação do festival, apresentada hoje à imprensa, coincidirá com o início, em 13 de março, da 62.ª sessão da Comissão de Direitos Humanos da ONU, que anualmente se reúne nessa mesma cidade suíça.O trabalho infantil na América Latina, o drama do Congo, o conflito na Chechênia, além do terrorismo e dos genocídios na região africana dos Grandes Lagos estão entre as pautas da programação. "A temática foi abordada com o objetivo de denunciar as violações desses direitos e de focalizar os instrumentos de que a sociedade civil dispõe para combater tais abusos", disse o responsável de conteúdos do evento, Yael Reinharz.Entre as 11 produções que competem na seção oficial pelo prêmios Sérgio Vieira de Mello, destaca-se o último filme do israelense Amos Gitai, News from the House 2005.Ainda entre os filmes presentes, figuram o espanhol En el Mundo a Cada Rato, dirigida conjuntamente por Patricia Ferreira, Javier Corcuera, Joan Ventura, Chus Gutiérrez e Javier Fesser; assim como a produção argentina El Último Confín, de Pablo Ratto.Para o representante da Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH) nas Nações Unidas, Simia Ahmadi, este festival, "não apenas convida à mobilização, mas permite ainda obter informações sobre assuntos complexos, como a justiça internacional".No aspecto didático do evento, ganham especial importância as mesas-redondas que se seguirão à exibição dos filmes, nas quais se espera a presença de políticos, defensores dos direitos humanos, representantes de ONGs, escritores e jornalistas.Entre outros, deverão comparecer à mostra o colombiano Luis Moreno Ocampo, presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); e a suíça Carla del Ponte, procuradora do Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII). A mostra contará com a participação da alta comissária para os Direitos Humanos das Nações Unidas, Louise Arbour; da ministra suíça de Exteriores, Micheline Calmy-Rey; da escritora irlandesa Samantha Power; e dos produtores Amos Gitai e Thierry Miller.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.