Mostra de Cinema "dura" o ano inteiro

A partir de 20 de outubro, a Mostra Internacional de Cinema volta a incrementar o calendário cultural de São Paulo. Ainda que o evento seja realizado apenas uma vez por ano, a Mostra atua ininterruptamente, inserindo seus títulos no mercado ? seja colocando filmes em circuito comercial, lançando-os em vídeo ou exibindo-os na televisão.Dos 160 títulos exibidos no ano passado, 52 chegaram aos cinemas, tendo sido lançados pela distribuidora da Mostra, a Mais Filmes (uma parceria com o Espaço Unibanco), ou por outras distribuidoras independentes.?O número representa um terço do total, o que significa que existe mercado para o nosso nicho de filmes (chamados de arte ou independentes). Não chegamos a disputar público com as distribuidores majors, como Columbia, UIP ou Fox, mas estamos crescendo??, disse o organizador Leon Cakoff.O último achado da Mostra de 1999 a estrear nos cinemas foi Os Cinco Sentidos, em cartaz desde o dia 15. Da edição passada também chegaram às salas ao longo deste ano Aimée e Jaguar, Beefcake, Corra Lola, Corra, Happy Texas, A Humanidade, Louise (Take 20), Seus Amigos, Seus Vizinhos e Zona de Conflito, entre outros. Viagens está programado para estrear na próxima sexta.Nesta edição do evento, a 24.ª da história, Cakoff pretende repetir a dose, trazendo mais de 150 longas-metragens de várias partes do mundo. Vários filmes selecionados já têm distribuição garantida, como Dancer in the Dark, com o qual o dinamarquês Lars von Trier levou a última Palma de Ouro de Cannes.Quem perder suas sessões na Mostra, que prometem atrair longas filas, poderá ver o desempenho de Björk e de Catherine Deneuve nos cinemas em dezembro, quando a Imovision pretende lançá-lo comercialmente.A distribuidora também já garantiu os direitos de outros filmes selecionados por Cakoff: In the Mood for Love, Fast Food Fast Women e La Nocia ? todos exibidos este ano em Cannes. Sweet and Lowdown, de Woody Allen, também entra na programação da Mostra, estreando na seqüência nos cinemas com distribuição da Pandora ? que decidiu intitulá-lo Poucas e Boas.?Para atender a demanda, vamos ampliar os espaços para filmes independentes em São Paulo??, comentou Cakoff, referindo ao projeto Arteplex, que ele desenvolve em parceria com Adhemar Oliveira (do Espaço Unibanco). A dupla pretende inaugurar em abril do ano que vem nove salas no Shopping Frei Caneca, atualmente em construção. ?Vamos trabalhar com novos talentos e diretores de grife. Ou seja, o mesmo perfil da Mostra.??Os títulos do evento também chegam à casa do cinéfilo, seja em vídeo ou pela televisão. Desde que entrou no mercado, há dois anos, o selo Cult Filmes já abasteceu as prateleiras das locadoras com 62 produções. O selo, que lançou Na Companhia de Homens e Gosto de Cereja, entre outros, é resultado de acordo entre Mostra, Pandora e Imovision.Pela TV, a Mostra atinge o público nas sessões semanais de filmes na Cultura, que exibe um título toda quinta-feira, às 22 h, com apresentação de Cakoff. Na TV por assinatura, o canal Cinemax também leva ao ar uma vez por mês uma produção exibida no evento. Atualmente Cakoff ainda está em negociação com a Directv para criar mais um espaço para a Mostra na televisão.?O mais importante é que, ampliando a área da atuação da Mostra, com lançamentos em circuito comercial, em vídeos e exibição na TV, nosso alcance aumentou. Hoje, nosso âmbito é nacional??, ressalta.

Agencia Estado,

23 de setembro de 2000 | 15h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.