Div
Div

Mostra CineBH abre com 'Deserto Azul'

Americano Tag Gallagher é uma das outras atrações do festival, que começa nesta quinta-feira, 16, em Belo Horizonte

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

16 de outubro de 2014 | 10h02

E a Universo Produção realiza seu terceiro grande evento de cinema para fechar 2014. A empresa mineira é única no País, no sentido de que seus eventos de audiovisual são conceitualmente integrados. Em janeiro, a Mostra Tiradentes abre a janela do novo cinema autoral. Em junho, Ouro Preto abriga o festival de cinema de arquivo e a Universo, depois de antecipar o futuro e revisar o passado, celebra o presente. A Mostra Cine BH, que começa nesta quinta-feira, 16, exibe e discute o cinema contemporâneo, em suas manifestações artísticas e de mercado.

É a 8.ª Cine BH - Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, que também abriga o 5.º Brasil CineMundi - 5th International Coproduction Meeting. Não basta exibir novos filmes. É preciso debater, refletir e estabelecer cânones que viabilizem coproduções internacionais. A Mostra CineBH abre com um filme de já esteve no Festival do Rio. Deserto Azul, do mineiro Éder Santos, passou na mostra Novos Rumos. É uma ficção científica que se passa no asséptico mundo futuro. Acabaram-se as guerras, os problemas sociais. Não há mais religião nem memória. As viagens são interiores. No interior do avião futurista, homens e mulheres colocam óculos para chegar a seu destino. Nesse quadro, o herói de Éder Santos busca a transcendência, sem saber direito o que ela significa. A originalidade não está (só) nas questões existenciais e políticas levantadas por Deserto Azul, mas na forma. Para visualizar o mundo futuro, Éder Santos viaja em instalações criadas por viodeomakers e artistas visuais de ponta, como ele.

Após esse começo de olho no futuro e até dia 23, a Mostra CineBH vai apresentar 98 filmes, sendo 39 longas e os restantes médias e curtas. Representam 20 países e 12 estados brasileiros (BA, SP, PE, CE, GO, MG, PR, RS, RJ, RN, RR, SC). Toda a programação é gratuita. Duas retrospectivas serão oferecidas ao público. Uma delas contempla o diretor francês Olivier Assayas e vai mostrar seu novo longa, Acima das Nuvens, com Juliette Binoche e Kristen Stewart - que também estará neste final de semana na Mostra de São Paulo -, mais sete de seus filmes precedentes, entre eles Irma Vep e Traição em Hong-Kong, interpretados por sua ex-mulher, a estrela asiática Maggie Cheung. A outra retrospectiva é dedicada a Santiago Loza, cineasta argentino ainda pouco conhecido no Brasil. Há 11 anos, com seu longa de estreia, Extraños, ele venceu o Festival de Roterdã. A Mostra CineBH exibe os dois filmes mais famosos de Loza, A Invenção da Carne e Quatro Mulheres Descalças, e na sexta-feira, 17, ele terá um encontro com o público para debater sua peculiar trajetória no cinema independente latino-americano.

Mas a grande atração internacional do 8.º CineBH será a presença, em Minas, do crítico e historiador norte-americano Tag Gallagher. Autor de livros seminais - The Adventurees of Roberto Rossellini: His Life and Films e John Ford: The Man and His Films -, Gallagher ministrará três masterclasses na capital mineira. 

Na sexta, 17, ele projeta para o público a versão restaurada (pela Cineteca de Bolonha) de Viagem à Itália, de Rossellini, e apresenta sua lecture sobre o autor italiano; no sábado, 18, mostra Sangue de Heróis/Forte Apache e debate o cinema de John Ford; e na segunda-feira, 20, completa sua participação exibindo e discutindo A Carta de Uma Desconhecida, de Max Ophuls. Pela importância dos autores, e do debatedor, a passagem de Tag Gallagher pelo Brasil promete ser um verdadeiro sonho de cinema.

Tudo o que sabemos sobre:
CinemaMostra CineBH

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.