Tracey Nearmy / EFE
Tracey Nearmy / EFE

Morte de Carrie Fisher ocorreu por apneia, afirmam legistas

Atriz norte-americana faleceu em dezembro, aos 60 anos

O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2017 | 10h24

A atriz Carrie Fisher morreu por complicações de uma apneia do sono, apontou a perícia preliminar publicada nessa sexta feira por legistas do condado de Los Angeles. Famosa por interpretar a princesa Leia na franquia "Star Wars", Carrie faleceu em 27 de dezembro, aos 60 anos, quatro dias após ficar inconsciente durante um voo entre Londres e Los Angeles.

De acordo com o relatório, a morte contou, além da apneia, com outros fatores não revelados.A perícia aponou o uso de medicamento, mas que o seus efeitos não foram decisivos para a morte. A atriz, que era uma ativista sobre saúde mental, sofria com transtorno bipolar e arteriosclerose. Um dia depois da morte de Carrie, a sua mãe, a também atriz Debbie Reynolds, faleceu aos 84 anos.   

Carrie Fisher ganhou fama ao interpretar a princesa Leia durante grande parte da série de filmes "Star Wars", desde seu primeiro filme, em 1977. A sua última aparição ocorreu em "O Despertar da Força" (2015), onde ela revivia o papel, já como uma general da Resistência.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.