Morre Peter Boyle, o pai em <I>Everybody Loves Raymond</I>

Peter Boyle, reconhecido por sua diversidade de papéis, que vão desde um monstruoso bailarino em Jovem Frankenstein até o pai na série de televisão Everybody Loves Raymond, morreu. Tinha 71 anos. Boyle morreu na noite de terça-feira no Hospital Presbiteriano de Nova York. Sofria de câncer e de doenças cardíacas, disse sua assessora de imprensa Jennifer Plante.Boyle adquiriu notoriedade em 1974, como um monstro criado em um laboratório na comédia de terror de Mel Brooks. O momento decisivo do filme ocorre quando Gene Wilder, no papel do cientista Frederick Frankenstein, apresenta sua criatura diante de um público elegante, que vê Boyle cantar e dançar o clássico de Irving Berlin Puttin´ On the Ritz.O filme mostrou outro ângulo do ator ganhador do prêmio Emmy, explorado em numerosos filmes e mais recentemente no seriado de televisão EverybodyLoves Raymond, uma das sitcoms mais vistas da história, produzida pela CBS. Por dez anos Boyle interpretou o chefe da família Frank Barone. Ele fazia o pai do protagonista, o jornalista esportivo de sucesso Ray Barone, interpretado pelo comediante Ray Romano. A série foi produzida de 1996 a 2005, mas ainda é exibida no Brasil pelo canal à cabo Sony Entertainment Television."É detestável, no bom sentido da palavra", disse ele sobre seu personagem em uma entrevista de 2001. "É uma experiência muito agradável que isso ocorra em um momento em que a gente olha para trás e vê cada erro cometido na vida".Entre os filmes em que atuou estão Táxi Driver, As Horas, Perdido em La Mancha, A Vingança do Mosqueteiro,Scooby Doo 2: Monstros à Solta, entre outros.Educado em escolas católicas na Filadélfia, Boyle passou três anos em um monastério antes de abandonar os estudos. "Foi como viver na Idade Média", disse ele certa vez. Mudou-se para Nova York onde ganhou a vida como empregado dos correios e maître de restaurante, entre outros empregos. Finalmente conseguiu um papel no teatro, na peça The Odd CoupleEm 1990, Boyle sofreu um ataque de apoplexia e ficou sem poder falar por seis meses. Em 1999 teve um ataque cardíaco no estúdio, durante gravação de Everybody Loves Raymond, episódio do qual se recuperou rapidamente.Apesar de ter trabalhado em diversas produções de Hollywood, Boyle estabeleceu-se na cidade de Nova York. Ele e sua mulher tiveram duas filhas, Lucy e Amy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.