Morre o compositor de trilhas sonoras Elmer Bernstein

O compositor de trilhas sonoras para o cinema Elmer Bernstein, que criou músicas como a marcha de Sete Homens e um Destino, o jazz de O Homem do Braço de Ouro e as notas graciosas de O Sol é Para Todos, morreu ontem, aos 82 anos, em sua casa em Ojai. A produtiva carreira Bernstein durou sete décadas e lhe rendeu 14 indicações ao Oscar, das quais venceu uma, por Positivamente Millie, de 1967, considerado um de seus trabalhos mais fracos.Para Sete Homens e um Destino, Bernstein compôs uma marcha galopante que manteve sua popularidade vários anos depois, por ter sido utilizada nas propagandas dos cigarros Marlboro. Além disso, ele escreveu as músicas de filmes clássicos do cinema, como Os Dez Mandamentos, O Sol é Para Todos, Fugindo do Inferno e Bravura Indômita. São dele também os temas de Clube dos Cafajestes, Apertem os Cintos....O Piloto Sumiu, Almôndegas, Ghostbusters e O Homem que Fazia Chover. Entre seus trabalhos mais notáveis estão as composições para os Deus Sabe Quanto Amei, O Homem de Alcatraz, Fugindo do Inferno, Meu Pé Esquerdo, Nada é Para Sempre e A Época da Inocência. Bernstein também produziu para orquestras sinfônicas. Mesmo que tenha ganhado apenas um Oscar, ele foi venerado por experimentar com várias técnicas que buscavam dar mais impacto aos filmes. "Uma coisa é escrever música para reforçar um filme, para ressaltá-lo, ou dar-lhe um tom dramático", disse certa vez o diretor Martin Scorsese. "Outra coisa completamente diferente é escrever músicas que tornem os filmes mais graciosos. Isso é o que faz Elmer Bernstein e isso, para mim, é seu maio dom". Apesar do mesmo sobrenome, o compositor não tinha nenhum parentesco com outro grande músico de Nova York, Leonard Bernstein, que compôs West Side Story.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.