Morre o cineasta Vincent Sherman

Vincent Sherman, que dirigiu Humphrey Bogart e Errol Flynn e que, além de dirigir, também namorou estrelas como Bette Davis, Rita Hayworth e Joan Crawford durante seu período como diretor nos anos 40 e 50 do século 20, morreu. Tinha 99 anos. Ele faria 100 anos em 16 de julho.Sherman morreu de causas naturais no domingo à noite, no Motion Picture and Television Hospital, conforme noticiou seu filho Eric Sherman, na segunda-feira."Vince estava em boas condições até dois meses atrás", disse a atriz Francine York, sua companheira nos últimos 9 anos. "Em janeiro ele apareceu em um documentário sobre Humphrey Bogart e contou muitas histórias. Ele foi o último dos gentlemen".Sherman, cuja carreira foi seriamente prejudicada pelo temor comunista em Hollywood, se tornou bem sucedido como diretor da série de televisão The Waltons, Hospital Médico e Baretta.Nascido com o nome de Abram Orovitz em 1906, Shermam foi filho de uma das duas famílias judias em Viena e aprendeu cedo a se defender das provocações de seus colegas de escola. Depois de se formar pela Universidade Oglethorpe, ele se mudou para Nova York para seguir a carreira de ator, juntando-se ao grupo de teatro de orientação de esquerda. Foi nesse período que mudou seu nome para Vincent Sherman.Ele começou sua carreira como ator na Broadway e fez alguns filmes, entre eles Counselor at Law de 1933 no qual interpretou um papel memorável como um jovem anarquista. Ele também escreveu vários roteiros incluindo No Limiar do Crime, estrelado por Bogart.No final dos anos 40 a Warner Bros contratou Sherman para atuar, escrever e dirigir. Nessa época ele fez refilmagens de filmes antigos. Ele se tornou famoso como diretor com o melodrama de 1942, The Hard Way."Diretor de mulheres"Por causa de sua habilidade para evocar poderosas performances de suas estrelas femininas, Sherman tornou-se conhecido com um "diretor de mulheres", um título que odiava. Ele dizia que também dirigiu atores como Paul Newman em O Moço da Filadélfia, Bogart em Balas contra a Gestapo, Richard Burton em O Gigante do Gelo , Flynn em As Aventuras de Don Juan.Sherman também ganhou a reputação de se envolver com muitas atrizes famosas com quem trabalhou, inclusive escrevendo sobre elas em sua autobiografia de 1996 Casos de Estúdio.Apesar de ser casado na época, teve um caso como Bette Davis durante a filmagem de Velha Amizade, de 1943 e que continuou em Vaidosa, lançado no ano seguinte. A esposa de Sherman, Hedda, tolerava suas aventuras extraconjugais, e seu casamento durou 52 anos. Ela morreu em 1984.Apesar de ter participado de outros projetos importantes ele nunca chegou a obter um prêmio da Academia. "Dos 30 filmes que fiz, gostei realmente de 10 ou 12 deles", disse o diretor em 1997. "O resto eram chamados filmes pão-com-manteiga". Além de seu filho Eric, Sherman deixou uma filha, Hedwin Naimark, quatro netos e três bisnetos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.