Pavel Golovkin/ AP
Pavel Golovkin/ AP

Morre o cineasta sul-coreano Kim Ki-duk vítima da covid

Premiado com o Urso de Ouro de Berlim por 'Samaritana', em 2004, e com o Leão de Ouro de Veneza por 'Pieta', em 2012, Kim Ki-duk foi um dos figuras-chave do cinema asiático nas últimas décadas

EFE, Redação

11 de dezembro de 2020 | 10h32

O cineasta sul-coreano Kim Ki-duk morreu aos 59 anos, na madrugada desta sexta-feira, 11, na Letônia, devido a complicações da covid-19, conforme informações da mídia coreana.

O diretor de Primavera, Verão, Outono, Inverno ... e Primavera (2003) estava na Letônia desde 20 de novembro passado, onde pretendia morar.

Premiado com o Urso de Ouro de Berlim por Samaritana, em 2004, com o Leão de Ouro de Veneza por Pieta, em 2012, e no Un Certain Regard em Cannes, em 2011, pelo documentário Arirang, Kim Ki-duk foi uma das figuras-chave do cinema asiático nas últimas décadas. 

Acusação de assédio

Em 2017, uma atriz sul-coreana acusou Kim Ki-Duk de agredi-la sexualmente durante uma filmagem, uma denúncia muito pouco comum em um país extremente conservador, onde as vítimas temem a vergonha pública.

Atriz afirmou na época que sua participação no filme Moebius (2013), um thriller sobre o incesto, a deixou "profundamente traumatizada".


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.