MUBI
MUBI

Morre o cineasta Mário Vaz Filho, aos 74

Vaz Filho foi um dos nomes influentes da Boca do Lixo e chegou a ser diretor do Sindicato dos Artistas e Técnicos no Estado de São Paulo

Redação, O Estado de S. Paulo

26 de janeiro de 2022 | 20h37

Um dos ícones da Boca do Lixo paulistana, Mário Vaz Filho morreu na última quinta-feira, 20, aos 74 anos. Ele ficou conhecido por Um Pistoleiro Chamado Papaco, com Fernando Benini como protagonista. Fez carreira como assistente de direção e produção, tendo participado, em diferente funções, em mais de 40 filmes. 

Paulista de Santos, Vaz Filho foi ator de teatro, começando em um grupo amador em 1966, logo indo para São Paulo, em 1972, para cursar Artes Dramáticas. Depois virou diretor de cinema, dirigindo filmes na Boca do Lixo, em São Paulo, principalmente nos anos 1980, como Ousadia. Como ator, ele trabalhou numa elogiada montagem de Prometeu Acorrentado, dirigida por Carlos Alberto Soffredini, em Santos. Ele pertenceu ao grupo do diretor e premiado dramaturgo. Viúvo, o cineasta foi enterrado na cidade natal, no litoral de São Paulo, a causa da morte não foi divulgada. 


 

Tudo o que sabemos sobre:
cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.