Michal Dolezal/CTK via AP
Michal Dolezal/CTK via AP

Morre o cineasta checo Jirí Menzel, aos 82 anos

Menzel ganhou o Oscar pelo filme 'Trens Estreitamente Vigiados'

Redação, EFE

07 de setembro de 2020 | 10h37

O diretor de cinema checo Jirí Menzel, ganhador do Oscar pelo filme Trens Estreitamente Vigiados, morreu no sábado, aos 82 anos, informou nesta segunda-feira, 7, a Rádio Praga. 

Jirí Menzel, um dos pioneiros da nova onda checa na década de 1930, morreu em Praga, que era sua cidade natal, cercado pela família e depois de uma longa batalha por sua saúde, escreveu Olga, sua mulher, no Facebook.

Nascido em 23 de fevereiro de 1938, Jirí Menzel fez cerca de 30 filmes, entre eles Andorinhas Por Um Fio (1969), Cutting It Short (1980), The Snowdrop Festival (1984) e I Served the King of England (2006).

O cineasta tinha 29 anos quando seu primeiro longa, Trens Estreitamente Vigiados, ganhou em 1967 o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. O filme se baseia no romance homônimo do escritor checo Bohumil Hrabal (1914-1997), com quem acabou colaborando em vários projetos. O filme é ambientado na então Checoslováquia ocupada pelo Terceiro Reich de Adolf Hitler, durante a Segunda Guerra Mundial. Ele conta a história de um aprendiz de soldado em uma estação ferroviária que, afundado em fracassos amorosos, tenta se matar antes de converter em um herói da resistência contra o nazismo.

Em uma entrevista à EFE em 2017, um pouco antes da doença que o afastou da vida pública, Menzel creditou o sucesso de sua primeira obra-prima à geração de cineastas checos da época, que havia ganhado vários prêmios em Hollywood e em festivais como os de Berlim, Cannes e San Sebastián. "Eu não teria conseguido se não fosse por nomes como Milos Forman, Vera Chytilova e Jan Nemec, que deram ao cinema checo um brilho inesperado" e que tinham em comum serem uma "reação natural à falta de honestidade dos filmes ideológicos anteriores", disse à época.

As obras do cinema tradicional era feitas "por bons autores que, sem exceção, deveriam combinar sua criação com o que o líder bolchevique queria", explicou. Em agosto de 1968, a invasão das tropas soviéticas na Checoslováquia, que iniciaram os protestos da Primavera de Praga, pôs fim à liberdade artística. O regime comunista proibiu a exibição de seu filme Andorinhas Por Um Fio, baseado também em obra de Hrabal, e Menzel não voltou a dirigir até 1974. Seu filme proibido estreou finalmente em 1990, depois da queda do comunismo, e ganhou o Urso de Ouro do Festival de Berlim.

Na década de 1980 dirigiu várias adaptações de obras de Hrabal. E também atuou em vários filmes e foi diretor de teatro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.