Morre o ator norte-americano Jack Palance

O ator norte-americano Jack Palance, célebre por seus papéis de vilão em Hollywood, como no clássico faroeste Os Brutos Também Amam de George Stevens, morreu nesta sexta-feira, em sua casa na Califórnia, segundo comunicou seu porta-voz Dick Guttman. Tinha 87 anos."Jack Palance morreu de causas naturais em sua casa em Montecito, Califórnia, rodeado por sua família", esclareceu Guttman. O ator nasceu na Pensilvânia, em 18 de fevereiro de 1919, numa família de modestos imigrantes ucranianos. Seu verdadeiro nome era Walter Palahnuik.Sua aparência, com um rosto de traços duros e o corpo grande de 1,91 metro, o transformou no "durão" ideal do cinema, a quem eram reservados os papéis de assassinos e psicopatas, nos mais de 80 filmes em que atuou. Palance foi também apresentador durante anos do programa Acredite se Quiser, exibido aqui pela TV Manchete. De lutador de boxe a atorPoucos sabem que Palance foi lutador de boxe profissional nos anos 40, antes de ser ator. Na carreira artística fez sua estréia primeiro na Broadway, em 1947, chegando às telas do cinema três anos depois, no filme Pânico nas Ruas (1950). Recebeu sua primeira indicação ao Oscar como ator coadjuvante no papel de Lester Blaine, em Precipícios D´Alma, de 1952. Sua segunda indicação veio pelo papel do assassino Jack Wilson em Os Brutos Também Amam (Shane), de 1953.Durante muitos anos, especialmente na década de 70 e 80, atuou em filmes pouco importantes, revoltado contra Hollywood por ter sido condenado a fazer papéis antipáticos. Participou e produções italianas de pouco destaque até voltar em grande estilo em Bagdad Café de Percy Adlon (1987) e Batman de Tim Burton (1988).Ganhou um Oscar de melhor ator coadjuvante ao trabalhar ao lado de Billy Cristal em Amigos, Sempre Amigos, de 1991. Na cerimônia de premiação, em 1992, ele surpreendeu a platéia fazendo flexões com uma mão só, demonstrando habilidade física. Tinha 72 anos. Billy Crystal era o apresentador da festa. Ultimamente Palace vivia recluso em seu rancho na Califórnia, dedicando-se à pintura e aos filhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.