Morre Laura Betti, musa de Pasolini

A atriz italiana Laura Betti, que trabalhou com grandes cineastas como Pier Paolo Pasolini, Federico Fellini e Bernardo Bertolucci, morreu em Roma, sábado, aos 70 anos, devido a um ataque cardíaco após uma cirurgia, disse hoje Sergio Trombetti, seu irmão. Nascida Laura Trombetti na cidade de Bolonha, ela começou a carreira como cantora de jazz, nos anos 1950, antes de estrear como atriz no filme de Fellini, A Doce Vida, em 1960, mesmo ano em que atuou em Era Notte a Roma, de Roberto Rosselini. Ela atuou nos filmes de Bertolucci O Último Tango em Paris e 1900. Mas, a atriz é especialmente lembrada por sua longa amizade com Pasolini, que a dirigiu em sete filmes, inclusive Os Contos de Canterbury, de 1971, Salò, de 1975 e Teorema, de 1968, que lhe rendeu o prêmio Copa Volpi de melhor atriz no Festival de Veneza. Depois de Pasolini ter sido assassinado em uma praia perto de Roma, em 1975, Laura se dedicou a preservar sua memória e seu trabalho, o que incluiu sua poesia e seus filmes. Ela dirigia, desde 1980, o Fundo Prier Paolo Pasoini e, em 2001, fez um documentário muito bem aceito sobre ele, Pier Paolo Pasolini e a Razão de um Sonho, o mais completo sobre a vida do cineasta.O velório foi preparado hoje no Teatro Argentina, em Roma, e o funeral foi marcado para amanhã, em Bolonha. Laura também deixa uma irmã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.