AFP
AFP

Morre atriz egípcia Shadia, ícone da época de ouro do cinema

Nascida no Cairo, artista, que tinha 86 anos, ficou conhecida como a 'menina má do cinema egípcio'

O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2017 | 11h20

A atriz e cantora egípcia Shadia, autêntico ícone do mundo árabe, faleceu aos 86 anos, anunciaram veículos locais nesta terça-feira, 28.

Seu famoso hino patriótico, Ya HabebTy Ya Masr (Oh meu Egito querido), se tornou um dos cantos da revolução de janeiro de 2011 que pôs fim à ditadura de Hosni Mubarak.

Shadia lutava contra uma doença e entrou em coma após sofrer uma hemorragia cerebral.

Nascida no Cairo em 1931 e conhecida como a "menina má do cinema egípcio", Fatima Shaker se tornou um ícone cinematográfico ao interpretar mulheres descaradas, rompendo as tradições.

Estrela da idade de ouro do cinema egípcio dos anos 1950-1970, Shadia protagonizou uma centena de filmes, como Zuga 13 (A 13ª mulher), Marati Mudir Aam (Minha mulher é diretor-geral) e Shi Min El Juf (Um pouco de medo).

Shadia, cujo nome artístico significa "a que canta", também era conhecida como cantora graças aos musicais em que participou.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Hosni Mubarakcinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.