AP Photo/Kathy Willens
AP Photo/Kathy Willens

Morre, aos 94 anos, o documentarista D.A. Pennebaker

Realizador de filmes sobre músicos e políticos, seus filmes mais conhecidos são 'Primárias', sobre a campanha de Kennedy, e 'Monterey Pop', sobre o Festival de Monterey, em 1967

AP, O Estado de S. Paulo

03 de agosto de 2019 | 23h10

Morreu na quinta-feira, 1, de causas naturais, aos 94 anos, em sua casa de Long Island, o documentarista norte-americano D.A. Pennebaker. O anúncio de sua morte foi feito ontem pela agência Associated Press. Com seu estilo pessoal ele ajudou a popularizar o que os franceses batizaram como “cinéma verité’, ou cinema-verdade, realizando filmes de grande repercussão, especialmente entre os apreciadores de música pop, ao filmar documentários sobre Bob DylanJimi Hendrix.

Ele também dirigiu documentários discutindo a política norte-americana dos anos 1960, tendo como personagens a família Kennedy e a atriz Jane Fonda, em plena militância contra a guerra do Vietnã. Pennebaker foi assistente de direção de um documentário histórico, Primárias (1960), filme que integra a coleção de DVDs da Videofilmes, produtora do João Moreira Salles e do Walter Salles, sobre a campanha política do ex-presidente norte-americano John Kennedy contra Hubert Humphrey.

Don’t Look Back, documentário sobre Bob Dylan realizado em 1965, é até hoje considerado o primeiro grande documentário da história do rock americano. Seu filme de maior popular do gênero é Monterey Pop, sobre o festival pop de Monterrey em 1967. Seu último filme, ainda inédito, é Rebirth.

Tudo o que sabemos sobre:
documentárioD.A. Pennebakercinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.