Morre aos 87 anos o ator Gregory Peck

O ator Gregory Peck morreu aos 87 anos, de madrugada, em sua casa em Los Angeles. Conforme seu assessor, o ator de A Luz é para Todos, Círculo do Medo, Os Canhões de Navarone, Da Terra Nascem os Homens, Virtude Selvagem, entre outros, não estava doente, e morreu de complicações decorrentes da idade, em paz, ao lado da mulher, Veronique. Ao longo da carreira de mais de cinco décadas, interpretou personagens parecidos com ele próprio - belos e altivos. Peck foi indicado cinco vezes ao Oscar, e e venceu o prêmio pelo papel do advogado Atticus Finch em O Sol É para Todos.Foi com o papel de Atticus Finch, no filme O Sol é Para Todos, de 1962, que Gregory Peck conseguiu sua última consagração. Em votação recente, os 1,5 mil membros do American Film Institute elegeram Atticus Finch o maior herói de toda a história do cinema. A mesma AFI já havia eleito Gregory Peck, ao lado de Bette Davis, Audrey Hepburn, Greta Garbo, Cary Grant, Clark Gable e outros, como um dos 50 melhores atores de toda a história. Da lista, Peck era um dos poucos que ainda estavam vivos. Pouco depois da votação, o ator dizia, em 2000, que a era de glamour de Hollywood estava acabada.Ícone de uma era, dizia-se dele, segundo o The New York Times: "Toda mulher queria se casar com ele, todo homem queria ser ele".Seu personagem mais famoso, Atticus Finch, é um advogado viúvo e pai de dois filhos que defende um negro do sul dos Estados Unidos de uma acusação injusta de estupro. O reconhecimento do heroísmo de Finch 31 anos depois do lançamento do filme é apenas uma confirmação do sucesso que teve o personagem em 1962. Gregory Peck conquistou seu único Oscar por este filme. Ao todo, Peck teve cinco indicações para o Oscar de melhor ator, quatro delas em seus primeiros cinco anos na indústria cinematográfica.Desta primeira fase de sua carreira, o filme de maior sucesso em que Peck fez o papel principal foi A Luz é Para Todos, de Elia Kazan em 1947. O ator viveu um jornalista encarregado de uma matéria sobre o anti-semitismo nos Estados Unidos. Para dar mais realismo ao seu trabalho, o repórter Phil Green decide se passar por judeu e conhece por dentro o preconceito conta os judeus no país. Peck foi indicado ao Oscar de melhor ator por este filme, mas não levou. Mas A Luz é Para Todos ficou com os Oscars de melhor filme e diretor. Houve papéis dos mais variados na carreira de Gregory Peck, sendo vários deles personagens legendários. Ele foi um herói de combate em Almas Selvagens, de 1949, o comandante Ahab de Moby Dick (1956), o escritor F. Scott Fitzgerald em O Ídolo de Cristal, o general MacArthur em MacArthur o capitão Keith Mallory em Os Canhões de Navarone, o Rei Davi em Davi e Betsabá, e o Joseph Mengele em Os Meninos do Brasil. Não menos ilustre é a lista de diretores com quem ele trabalhou. Com Alfred Hitchcock ele fez Quando Fala o Coração (1945) e Agonia de Amor (1945). Com John Huston ele estrelou Moby Dick (1956), Willian Wyler em Da Terra Nascem os Homens (1958) e A Princesa e o Plebeu (1953), Vincent Minelli em Teu Nome É Mulher (1957), John Ford em A Conquista do Oeste (1962), Robert Mulligan em O Sol É Para Todos (1962), Martin Scorsese em Cabo do Medo, (1991) - um remake do filme que ele protagonizou em 1962, sob direção de J.Lee Thompson. Sobre aquele que talvez tenha sido seu maior papel, o do advogado Atticus Finch, Peck disse em 1989: ?Eu pus tudo o que tinha naquele papel, todos os meus sentimentos e tudo o que aprendi em 46 anos de vida sobre família, pais e filhos, sobre justiça racial, desigualdade e oportunidade?. Também em 1989, época em que Peck ainda estava em plena atividade, o astro comentava sua condição de veterano afirmando: ?Trabalho enquanto gostar disso. Não quero fazer, se puder evitar, algo medíocre. É um tanto inverossímil na minha idade aparecer de turco?. Nascido Eldred Gregory Peck em 5 de abril de 1916, na Califórnia, filho de um farmacêutico, ele veio a se tornar ator quando um professor da faculdade de medicina que cursava o levou para o teatro da Universidade de Berkeley. Acabou fazendo cinco peças em um ano, que foi o seu último na faculdade. Após a formatura, Peck foi para Nova York com US$ 195 no bolso e fez bicos em várias atividades até que estreou na Broadway com Morning Star, em 1939. Foi a partir daí que chamou a atenção de Hollywood, onde conseguiu seu primeiro papel no modesto Quando a Neve Tornar a Cair, de 1944. E nunca mais deixar de atuar em cinema.Peck casou com sua primeira mulher, Greta, em 1942, e teve três filhos, Jonathan, Stephen e Carey. Jonathan, repórter de TV, suicidou-se aos 30 anos. Após o divórcio em 1954, Peck casou-se com a jornalista francesa Veronique Passani, com quem viveu por 48 anos e teve mais dois filhos, Anthony e Cecilia, ambos atores. Veja a relação de filmes do ator1991 - Cabo do Medo 1989 - Gringo Velho 1987 - A Voz do Silêncio 1978 - Os Meninos do Brasil 1976 - A Profecia 1969 - O Ouro de Mackenna 1963 - Pavilhão Sete 1962 - A Conquista do Oeste 1962 - O Sol É Para Todos 1962 - Círculo do Medo 1961 - Os Canhões de Navarone 1959 - O Ídolo de Cristal 1958 - Da Terra Nascem os Homens 1957 - Teu Nome É Mulher 1956 - Moby Dick 1956 - O Homem do Terno Cinzento 1953 - A Princesa e o Plebeu 1951 - David e Betsabá 1951 - Falcão dos Mares 1949 - Almas em Chamas 1947 - A Luz É Para Todos 1947 - Agonia de Amor 1946 - Virtude Selvagem 1946 - Duelo ao Sol 1945 - Quando Fala o Coração 1944 - As Chaves do Reino 1944 - Quando a Neve Tornar a Cair

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.