Morre aos 84 o ator Tony Randall

O ator Tony Randall, o fotógrafo Felix Unger do seriado de TV O Estranho Casal, adaptado do filme de mesmo nome com Jack Lemmon e Walter Matthau, morreu dormindo aos 84 anos na noite de ontem, no Centro Médico da Universidade de Nova York. Randall ganhou o Emmy, o Oscar da televisão americana, pelo papel de Unger na sitcom que ficou no ar de 1970 a 1975. O charme do programa vinha dos conflitos entre Randall e Jack Klugman, como o superficial cronista esportivo Oscar Madison, com o qual era obrigado a dividir um apartamento após os dois se divorciarem. Antes de fazer sucesso no seriado, porém, Randall atuou em uma longa lista de produções para o cinema, ficando famoso especialmente pelo papel do melhor amigo em diversos filmes de Rock Hudson e Doris Day, entre eles Confidências à Meia Noite, de 1959, e Volta Meu Amor, de 1961.Um de seus trabalhos mais marcantes foi o filme As 7 Faces do Dr. Lao, de 1964, em que interpretava, além do Dr. Lao, suas seis outras personalidades, na história de um circo misterioso que chega a uma pequena cidade e muda sua rotina. O último trabalho de Randall no cinema foi a comédia Abaixo o Amor, de 2003, como o magnata Theodore Banner. O filme, passado nos anos 60, é uma homenagem às comédias românticas estreladas por Rock Hudson e Doris Day, e é protagonizado por Renée Zellweger e Ewan McGregor.Após O Estranho Casal, Randall teve dois seriados de vida curta, um deles, The Tony Randall Show, no qual fazia um juiz da Filadélfia, de 1976 a 1978. Entre 1981 e 1983, ele teve o papel principal em Love, Sidney, como um solteiro de meia idade que ajuda uma amiga a cuidar da filha. O programa era baseado em um telefilme no qual Sidney era gay, mas, na série de TV, a orientação sexual do personagem ficava apenas implícita. Por seu trabalho na televisão, Randall ganhou uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, em 1998.Num esforço para trazer o teatro clássico de volta à Broadway, Randall fundou, em 1991, e era diretor artístico do Teatro Nacional dos Atores, sem fins lucrativos. A primeira produção da companhia foi o remake de The Crucible, de Arthur Miller, estrelando Martin Sheen e Michael York, que não era encenada na Broadway há 40 anos. No ano seguinte, a produção de Randall para The Master Builder, de Ibsen, não teve tanto sucesso. Apresentações seguintes incluíram Night Must Fall, The Gin Game e The Sunshine Boys, na qual Randall se reuniu com Klugman, em 1998. Randall também atuou na peça de sua companhia que ganhou o Tony, M. Butterfly.O ator tinha uma vida social ativa, tendo feito campanhas contra o fumo em lugares públicos, marchado em Washington contra o apartheid nos anos 80 e ajudado a levantar dinheiro para pesquisas da AIDS nos anos 90. Nascido Leonard Rosenberg em 26 de fevereiro de 1920, Randall cursou a Universidade de Northwestern antes de ir para Nova York aos 19 anos, onde estreou nos palcos em 1941, em The Circle of Chalk. Serviu ao exército durante a Segunda Guerra e em 1957 estreou no cinema. Casou com sua namorada de colégio, Florence Randall, com quem viveu por 54 anos, até ela morrer de câncer em 1992. Em 1995, ele se casou com Heather Harlan, 50 anos mais nova que ele, com quem teve dois filhos, Julia Laurette Randall, de 7 anos, e Jefferson Salvini Randall, de 5.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.