Morre aos 79 o diretor checo Karel Kachyna

O cineasta checo Karel Kachyna morreu em um hospital hoje em Praga aos 79 anos, segundo informou sua família. Kachyna pertenceu a uma geração de cineastas que nos anos 60 pôs a então Checoeslováquia no mapa do cinema mundial, ao lado de Milos Forman, Ján Kadár, Jirí Menzel, Vojtech Jasny, entre outros. Aproveitavam-se de um especial clima de liberdade conhecido como "Primavera de Praga", mais tarde sufocado por iniciativa soviética.São deste período filmes como O Grande Muro, de 64, Viva a República, de 65, e A Carroça, de 66, todos de Kachyna, que tinha por costume trabalhar em parceria com o escritor Jan Procházka. São títulos da era de ouro do cinema checo, após o que a produção de Kachyna - e também de outros cineastas do país - se tornou irregular. Em 1988, ele ainda lançaria Os Amores Se Revelam. Onze anos depois, voltou a ganhar repercussão com Hanele, em que contava a história de uma menina às voltas com a intransigência dos ortodoxos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.