The New York Times
The New York Times

Morre Sue Lyon, a Lolita do cinema

Ela foi escolhida pelo diretor Stanley Kubrick entre 800 concorrentes ao papel da ninfeta de Nabokov

The New York Times, O Estado de S. Paulo

27 de dezembro de 2019 | 21h55

Sue Lyon, que tinha 14 anos quando o cineasta Stanley Kubrick escolheu a atriz para personificar a Lolita de Nabokov no cinema, morreu nesta quinta-feira, 26, em Los Angeles, aos 73 anos, segundo anunciou seu amigo Phil Syracopopulos. A causa da morte não foi revelada, mas a atriz estava doente havia alguns meses.

Ela apareceu em filmes de grandes diretores, como John Huston, que a dirigiu na adaptação de A Noite do Iguana (1964), mas foi com Lolita que seu nome ficou gravado entre os cinéfilos. Sue Lyon foi escolhida entre 800 concorrentes para o papel. Na ocasião, Nabokov, que foi roteirista do filme, reiterou o que dizia de sua personagem, "Ela é a perfeita ninfeta", embora talvez tivesse preferido a atriz francesa Catherine Demongeot para o papel.

De qualquer forma, a imagem de Sue Lyon com óculos escuros no formato de coração e chupando um pirulito, registrada pelo fotógrafo publicitárioBert Stern, correu mundo, mesmo que ela não apareça no filme de Kubrick.

O livro de Nabokov causou escândalo na época em foi publicado (1955, na Inglaterra) . O filme,  feito em 1962, não provocou tanto por Sue Lyon aparentar ser mais madura que a Lolita do livro. Mesmo assim, houve reações da Liga Católica americana e outras organizações conservadoras. Ele conta a história de um homem mais velho que se apaixona pela ninfeta. Sue Lyon nasceu em 10 de julho de 1946 em Davenport, Iowa e casou quatro vezes, uma delas com um presidíário que cometeu um assassinato.

Tudo o que sabemos sobre:
Stanley KubrickJohn Huston

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.