Richard Shotwell/Invision/AP
Richard Shotwell/Invision/AP

Morre aos 61 anos o ator Bill Paxton

Segundo o site TMZ, diretor teve complicações em uma cirurgia

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2017 | 14h04

Ele nunca foi um astro, mas marcou presença em filmes importantes e teve parcerias duradouras com grandes diretores de Hollywood. Apesar disso, o público talvez tenha dificuldade para se lembrar exatamente de Bill Paxton. Olhe a foto. Paxton estreou num pequeno papel de Crazy Mamma/Loucura de Mamãe, em 1975. Era pouco mais de um garoto. Tinha 20 anos quando Jonathan Demme o colocou, com Dennis Quaid na sua louca saga de três gerações de mulheres criminosas e dos homens que elas vão recolhendo – nas estradas, na vida – em suas loucas aventuras.

Demme estava começando, e o Oscar – por O Silêncio dos Inocentes – ainda ia demorar, mas Crazy Mamma já contém o embrião de Totalmente Selvagem e De Caso com a Máfia, com suas heroínas protofeministas. Foi um começo certamente auspicioso para Paxton. Nos anos seguintes, ele fez muita coisa, criando personagens sólidos. A morte chegou cedo. No domingo de Oscar, a família emitiu um comunicado. “É com o coração pesado que compartilhamos a notícia de que Bill Paxton faleceu devido a complicações de uma cirurgia.” Tinha 61 anos. E o comunicado prossegue – “Marido e pai amoroso, Bill começou sua carreira em Hollywood trabalhando em filmes no departamento de arte, antes de construir uma carreira ilustre de quatro décadas como ator e cineasta amado e prolífico.” 

Nascido em Fort Worth, no Texas, filho de um ator ocasional e de uma mãe dona de casa, Bill fez o caminho tradicional. Cursou o college, destacou-se nos esportes. O físico atlético ajudou a definir um tipo. Foi um bandido no qual Arnold Schwarzenegger aplicava seu corretivo em O Exterminador do Futuro, o original de 1984, de James Cameron. Foi a primeira de uma série de associações com o diretor, que o convocou para Aliens, o Resgate, True Lies e Titanic. A carreira inclui westerns (Tombstone – A Justiça Está Chegando, de George Pan Cosmatos), ficção científica (Apollo 13, de Ron Howard) e filme catástrofe (Twister, sobre ciclones, de Jan de Bont). Um de seus melhores papéis foi em Um Plano Simples, de Sam Raimi. A cirurgia nem era complicada, mas a queda de pressão e uma hemorragia o debilitaram gravemente. Nas próximas semanas, você vai (re)vê-lo de novo na tela. Está no elenco de A Bela e a Fera, a versão live action da Disney, com Emma Watson.

Casado Louise Newbury, com quem teve dois filhos e a esposa, Louise Newbury. 

Tudo o que sabemos sobre:
Bill Paxton

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.