Morre a baleia do filme "Free Willy"

Keiko, a orca que virou estrela de cinema nos filmes da série Free Willy, morreu hoje. A baleia-assassina, como também é chamado o animal, foi acometida de pneumonia, na costa da Noruega, conforme veterinários. "Ele demonstrava sinais de letargia e falta de apetite", contou Dane Richards. "Checamos sua taxa de respiração, e estava um pouco irregular... ele não estava passando bem."Medindo oito metros de comprimento e pesando seis toneladas, Keiko tinha cerca de 27 anos - orcas vivem em média 35 anos na vida selvagem. O cetáceo foi capturado logo em seus primeiros anos de vida, em 1979, perto da Islândia, e vendida à indústria dos parques aquáticos. Em 1993, o filme Free Willy catalizou um movimento mundial pela libertação do astro, que estava doente em um aquário da Cidade do México.Depois de transferida ao aquário de Oregon, nos Estados Unidos, a baleia foi transportada em 1998 para a Islândia, onde começou um polêmico - e inconcluso - processo de reabilitação à vida selvagem, bancado em parte por fundos levantados pelos filmes. O projeto dividiu ambientalistas, em especial quanto suas às milionárias necessidades - até US$ 500 mil por mês.Ao final, a campanha que movimentou milhares de fãs não chegou ao fim. Há 18 meses, Keiko deixou a Islândia e escolheu como lar a costa norueguesa. Mas o animal, sempre monitorado, nunca conseguiu retomar o convívio em sociedade com seus pares e ainda preferia ser alimentado a caçar, frustrando expectativas dos veterinários e biólogos e virando atração turística na cidade norueguesa de Halsa. Em japonês, Keiko significa algo como "o sortudo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.