Morre a atriz Shelley Winters

A atriz Shelley Winters, duas vezes ganhadora do Oscar e uma das mais respeitadas estrelas da era de ouro de Hollywood morreu neste sábado, aos 85 anos, na cidade de Los Angeles, vítima de um ataque cardíaco, segundo informou seu representante Dale Olson.Olson precisou, em declarações recolhidas em vários meios de comunicação, que a atriz morreu na primeira hora de hoje no Centro de Reabilitação de Beverly Hills, onde estava internada desde outubro passado.A atriz, que nasceu em St. Louis, em Illinois, em 18 de agosto de 1920 e participou de mais de uma centena de filmes, fez seu último filme em 1999. Ela atuou ao lado dos principais astros do cinema norte-americano, como Marlon Brando, Paul Newman e William Holden.Shelley, que conquistou o Oscar de melhor atriz coadjuvante por sua atuação em O Diário de Anne Frank (1959) e em Quando Só o Coração Vê (1965), havia sido hospitalizada no mês de outubro em estado grave após sofrer um ataque cardíaco.Estudou no Actor´s Studio de Nueva York e estreou em Hollywood em 1943.Despontou no cenário hollywoodiano nos anos 50, especialmente após receber uma indicação para o Oscar como melhor atriz coadjuvante, em 1951, pelo filme Um Lugar ao Sol, de George Stevens, em que contracenava com ninguém menos do que Elizabeth Taylor e Montgomery Clift.O papel pelo qual sempre será lembrada é o da grande nadadora como passageira do transatlântico de luxo que naufraga em O Destino do Poseidon (1972), filme pelo qual também foi indicada ao Oscar. Shelley aparece em outro cult do cinema, Lolita (1962), de Stanley Kubrick, adaptação do romance de Vladimir Nabokov, interpretando a mãe da adolescente (Sue Lyon) por quem um homem de meia-idade, interpretado por James Mason, se apaixona.O nome de Shelley Winters também está relacionado aos grandes escândalos de Hollywood, já que é autora de várias autobiografias nas quais revela os segredos da indústria cinematográfica. AP/Shelley Winters posa para foto em 1951Para poder escrever seus livros, o que a ajudou muito foi o fato de ter sido companheira de quarto da jovem Marilyn Monroe, e mulher do ator italiano Vittorio Gassman, com quem teve uma filha, Vittoria-Gina.Em um de seus livros autobiográficos, intitulado Shelley II: A Metade do Meu Século, a atriz contava a apaixonada aventura amorosa que viveu com o ator britânico Sean Connery em Londres, antes que ele se tornasse o Agente 007 James Bond e quando o ator tinha apenas dinheiro apenas para pagar o aquecimento de sua casa.No mesmo livro, Shelley relata também detalhes de seu terceiro casamento com o ator Tony Franciosa, do qual se divorciou, e de seu frustrado amor pelo ator britânico Lawrence, que encontrou uma vez na companhia de Marilyn Monroe. Ela também foi casada com Paul Meyer, seu primeiro marido, de quem se divorciou antes de se casar com Gassman, em 1952.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.