REUTERS/Mario Anzuoni
REUTERS/Mario Anzuoni

Morre a atriz Cloris Leachman, aos 94 anos, na Califórnia

A ganhadora do Oscar de melhor atriz coadjuvante pelo filme 'A Última Sessão de Cinema' morreu de causas naturais

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2021 | 20h23

A atriz americana Cloris Leachman, ganhadora do Oscar de melhor coadjuvante pelo filme A Última Sessão de Cinema (1971), morreu nesta quarta-feira, 27, aos 94 anos, em sua casa, na cidade de Encinitas, na Califórnia, de causas naturais. Ela também se tornou conhecida pelo papel da adoravelmente neurótica Phyllis Lindstrom, no seriado Mary Tyler Moore, grande sucesso dos anos 1970 e que lhe rendeu 8 prêmios Emmy.



Cloris nasceu no dia 30 de abril de 1926, em Des Moines, Iowa. Depois de ganhar o título de Miss Chicago em 1946 (como parte do concurso de Miss América), ela atuou no Des Moines Playhouse antes de se mudar para Nova York.

A atriz fez sua estreia em 1948, em um episódio de The Ford Theatre Hour e figurou em muitas antologias e séries de televisão antes de se tornar regular no The Bob & Ray Show, em 1952. Sua estreia no cinema foi memorável, interpretando a loira condenada Christina Bailey, no clássico noir de Robert Aldrich A Morte num Beijo (1955).

Com exceção de uma participação no filme Deus é Meu Juiz (1956), de Rod Serling, contracenando com Paul Newman, Cloris Leachman permaneceu na televisão ao longo dos anos 1950 e 1960, aparecendo em apenas dois filmes durante a última década, A Vida Íntima de Quatro Mulheres (1962) e Butch Cassidy (1969). Apesar do Oscar vencido em 1971 e da participação em três comédias de Mel Brooks (ela está impagável em O Jovem Frankenstein), foi na televisão que sua carreira permaneceu e sua fama foi garantida nos anos 1970 e na segunda década do novo milênio.

“Tive o privilégio de trabalhar com Cloris Leachman, uma das atrizes mais destemidas de nosso tempo”, disse sua agente de longa data, Juliet Green, à revista Variety. “Não havia ninguém como Cloris. Com um único olhar, ela tinha a capacidade de quebrar seu coração ou fazer você rir até que as lágrimas corressem pelo seu rosto. Você nunca sabia o que Cloris ia dizer ou fazer e essa qualidade imprevisível era parte de sua magia incomparável.”

Veja o trailer do clássico A Morte num Beijo:

 

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaCloris Leachman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.