Morgan Freeman encontra-se com FHC

Além do cinema, os problemas das minoriasraciais deverão dar o tom da visita do ator norte-americano Morgan Freeman ao Brasil. Ele está no País a convite da organização do Festival Internacional de Cinema de Brasília, que termina quarta-feira. Mas nesta terça-feira, ele vai participar de um debate com parlamentares e especialistas na Fundação Palmares, em Brasília, sobre o Estatudo da Igualdade Racial, que está sendo discutido no Congresso.Freeman, que também é conhecido por suas posições em defesa das minorias raciais, diz ser a favor das ações afirmativas ? como os sistemas de cotas ? como mecanismo de assegurar os direitos das populações menos favorecidas. ?É preciso criarmeios para quem ficou excluído recupere as oportunidades que perdeu em educação e saúde. As cotas são uma boa idéia?, afirmou. ?Mas essas ações devem existir por um certo tempo?, concluiu.A agenda do ator, incluiu um encontro com o presidente Fernando Henrique Cardoso no fim da tarde desta segunda-feira. No entanto, a audiência atrasou 20 minutos e o ator ? que esperou em pé, ao lado de uma bandeira do Brasil ? chegou a demonstrar sinais deimpaciência: bocejou duas vezes e olhou para o relógio. Ele estava acompanhado de um grupo de cineastas que estão participando do festival, entre eles a brasileira Florinda Bolkan.O grupo acabou sendo recebido, inicialmente pelo ministro da Cultura, Francisco Weffort, e pelo ministro chefe da Casa Civil, Pedro Parente. A seguir apareceu Fernando Henrique, que conversou por cerca de dez minutos. Freeman elogiou a aparência do presidente, tomando a liberdade de passar a mão pelo paletó. O ator também comentou que Fernando Henrique é o primeiro presidente que ele visita fora dos Estados Unidos.O ator também está lançando seu novo filme, Crimes em Primeiro Grau, um thriller em que ele intepreta um velho Marine queconhece a Justiça militar e ajuda uma advogada a defender seu marido em uma corte militar ultra-secreta. Na semana que vem Freeman será o convidado de honra do Afrofest, o primeiro festival Afro-Brasileiro/Afro-Americano de Cinema no Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.