Moore faz críticas a líderes internacionais

Em coletiva de imprensa ontem, em Nova York, que marcou o lançamento mundial de Fahrenheit-9/11, o diretor Michael Moore não deixou a política de lado e criticou os líderes dos países que apóiam o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, na guerra contra o Iraque. O cineasta espera que seu filme ajude os eleitores a pensarem melhor antes de votarem nos governantes de seus países.O novo filme de Moore, que recebeu a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes este ano, critica política internacional do presidente Bush, especialmente suas decisões após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. O polêmico cineasta fez críticas duras ao primeiro-ministro britânico, Tony Blair; ao primeiro-ministro da Austrália, John Howard; e aos líderes de outros países que estão do lado dos Estados Unidos, como Japão e Itália. "Estou gastando meu cérebro tentando entender o que pessoas como Tony Blair, antes um homem inteligente, está fazendo se aliando ao presidente Bush. É algo para os cientistas estudarem", disse o sarcástico Moore. Sobre John Howard, o cineasta declarou que "acho que ele tem pelo menos meio cérebro". Fahrenheit 9/11, que estava no primeiro lugar das bilheterias norte-americanas até o último fim de semana, quando foi ultrapassado por Homem-Aranha 2, já arrecadou US$ 61,1 milhões desde sua estréia em 23 de junho. A lista dos 10 filmes mais vistos nos Estados Unidos entre sexta e segunda-feira, e o total em ingressos vendidos no período, é a seguinte:1 - Homem-Aranha 2, US$ 115.817.364 2 - Fahrenheit 9/11, US$ 22.027.125 3 - White Chicks, US$ 11.544.456 4 - Dodgeball: A True Underdog Story, US$ 11.355.165 5 - The Terminal, US$ 10.750.087 6 - The Notebook, US$ 10.362.521 7 - Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, US$ 8.541.177 8 - Shrek 2, US$ 8.387.681 9 - Garfield: O Filme, US$ 4.283.154 10 - Two Brothers, US$ 3.882.180

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.