Montagem reúne mais chance de ganhar prêmio

A ágil montagem de Daniel Rezende é apontada como a principal chance de Cidade de Deus ganhar um Oscar. O trabalho, reconhecido pelos ingleses (que lhe conferiram seu principal prêmio, o Bafta), marca a estréia de Rezende em longa-metragem, como ele conta na entrevista a seguir. Estado - O fato de já ter ganhado o Bafta nessa mesma categoria te oferece alguma vantagem sobre os demais? Daniel Rezende - Não sei, a academia americana é muito diferente da inglesa. O processo de seleção e votação é completamente distinto. Cidade de Deus fez muito sucesso em Londres (o que não se repetiu com a mesma intensidade nos EUA). No Oscar, são muitas pessoas que votam separadamente e não dá para saber se todas elas assistiram a todos os filmes nem se todos sabem do resultado do Bafta no ano passado. Já no Bafta, a decisão do vencedor é feita por 10 editores que discutem os 5 candidatos antes de chegarem a uma conclusão." target=_blank>

Agencia Estado,

28 de fevereiro de 2004 | 05h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.