Monstrinhos são o novo trunfo da Disney

A Disney apresenta esta semana nos EUA seu trunfo para voltar a ser a rainha dos longas de animação: Monsters, Inc.. O projeto, uma nova parceria com a Pixar, responsável pelos hit Toy Story, custou mais de US$ 100 milhões e tem a missão de garantir ao estúdio o Oscar de melhor filme de animação. A produção também deve tentar superar o sucesso de Shrek, da DreamWorks, que arrecadou US$ 266 milhões só nos EUA. A Disney, que domina a fatia do mercado desde Branca de Neve e os Sete Anões, de 1937, começou a errar na mão nos últimos tempos, com fracassos como Dinossauros e Atlantis. Enquanto isso, a DreamWorks transformou Shrek no desenho que mais faturou em toda a história depois de O Rei Leão, da concorrente. Para aumentar a frustração dos executivos da Disney, o personagem do filme era um monstro, exatamente o tema de Monsters, Inc., que começou a ser produzido bem antes.De um lado, o estúdio vai ter de enfrentar as comparações, convencer o público a ir aos cinemas em um período conturbado nos EUA e ainda combater a concorrência de Harry Potter. Por outro lado, o filme da Disney vai contar com a ajuda da Internet de maneira inédita - um site totalmente interativo, que deve se tornar uma atração paralela - e com um elenco que inclui John Goodman, Billy Crystal, James Coburn e Steve Buscemi. Monsters, Inc. tem ainda uma nova tecnologia desenvolvida pela Pixar, muito mais avançada do que a usada em Toy Story 2. Com mais definição, o filme oferece agora novas texturas e movimentos mais humanos. A roupa da personagem principal, por exemplo, move-se independentemente do resto do corpo quando ela está andando. Para a sorte da Disney, o filme conta com um bom roteiro e personagens que devem virar mania. Assim como Toy Story, a trama parte de uma premissa que toda criança pode se identificar: a de que monstros moram nos cantos escuros de seus armários. Na história, boa parte deles trabalha na Monsters, Inc., fábrica processadora de gritos. Assim como as crianças têm medo deles, os monstros acham que o contato com humanos pode ser tóxico. Os problemas começam quando uma menina consegue entrar no mundo dos monstros e se perde dentro da fábrica (os fãs de animação gostarão de fazer uma visita virtual ao lugar, no site oficial do filme (http://disney.go.com/DisneyPictures/monstersinc/. Entre os personagens, Sulley e Mike Wazowski (Goodman e Crystal), reeditam o humor do Gordo e o Magro, mas em versão esperta e atualizada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.