Monges protestam contra filme ofensivo a Buda

Mais de 500 monges budistas marcharam hoje até a embaixada dos Estados Unidos no Sri Lanka pedindo que um filme de Hollywood que, segundo eles, ofende Buda, seja banido. Os monges do Movimento Patriótico Nacional disseram que estavam bravos por causa de uma propaganda de Hollywood Buddha, que mostra o produtor, diretor e ator Philippe Caland sentado na cabeça de uma estátua de Buda. Alguns monges carregaram a propaganda enquanto outros agitavam bandeiras budistas em um protesto pacífico. "Queremos que o lançamento do filme seja impedido", disse o monge Mawarale Baddiya. "O filme zomba de Buda, de sua imagem e de seus ensinamentos". Um documento com os pedidos dos budistas foi entregue ao representante da embaixada dos Estados Unidos. Baddiya disse que se o pedido não for atendido, os monges iniciariam uma greve de fome até a morte em frente à embaixada.O filme, sobre um produtor de Hollywood que aluga uma estátua de Buda esperando que ela lhe traga sorte para seu novo filme, já irritou o povo da Tailândia, outro país de maioria budista. Na semana passada, um comitê tailandês para assuntos religiosos pediu que o filme fosse banido do país. Em resposta, Caland disse que se sentia mal por ter ofendido os budistas e que cancelaria a propaganda, mas continuaria com os planos de lançar o filme em 24 de setembro. Tocar a cabeça, a parte mais sagrada do corpo, é considerado uma grande ofensa entre os povos asiáticos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.